Operação Voo Rasante. PJ detém sete pessoas por apresentação de falsos testes negativos

Na operação Voo Rasante, a PJ deteve sete pessoas no aeroporto de Lisboa por posse de falsos comprovativos de resultados negativos à covid-19. As três mulheres e os quatro homens foram detidos quando se preparavam para viajar para outro país do espaço europeu.

Sete pessoas foram detidas no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, por posse de comprovativos de resultados negativos ao vírus SARS-CoV-2 falsos, anunciou hoje a Polícia Judiciária (PJ), sublinhando que os indivíduos foram detetados já nas portas de embarque.

Numa operação designada Voo Rasante e que contou com o apoio dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), a PJ, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, adiantou em comunicado que se trata de três mulheres e quatro homens, entre os 26 e os 36 anos, que se preparavam para viajar para outro país do espaço europeu.

Em causa estão os crimes de falsificação de documento, propagação de doença, branqueamento de capitais e falsidade informática, num inquérito em curso no Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Lisboa, pelo qual os detidos foram já sujeitos a primeiro interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa.

"A falsificação de resultados dos testes põe em causa a confiança nos mesmos, gera insegurança nos operadores e no cidadão comum, inviabiliza a adoção das medidas adequadas à contenção da propagação e, suscitando a dúvida sobre a autenticidade dos comprovativos", refere a nota divulgada pela Judiciária, assinalando que se impõe "a necessidade de proceder à recolha de elementos probatórios" e "uma estratégia robusta de testagem".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG