Pedro Dias terá matado GNR para encobrir crime antigo

O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira terá tido receio de ser associado a um furto e tiroteio ocorridos em 2010

Pedro Dias, o principal suspeito dos crimes de Aguiar da Beira, terá disparado contra o GNR que acabou por morrer para esconder um crime do passado. A notícia é avançada esta terça-feira pelo jornal i, que refere que a Polícia Judiciária acredita saber o que levou o homem conhecido como "piloto" a disparar sobre os dois militares da GNR que o abordaram em Aguiar da Beira.

Segundo esta teoria, o crime estará relacionado com um outro delito, cometido em 2010, em Leiria: um furto a um armazém para ração de gado. Durante o roubo, uma testemunha chamou a polícia e deu uma descrição física do alegado assaltante que correspondia à figura de Pedro Dias. Quando as autoridades chegaram ao local, foram recebidas com disparos, oito. Os invólucros das balas foram depois recolhidos e armazenados na base de dados da polícia científica. O assaltante não chegou a ser localizado ou detido.

De acordo com o i, a PJ acredita que Pedro Dias, já em Aguiar da Beira, iniciou o tiroteio contra os agentes porque estava a tentar encobrir a arma usada neste assalto de 2010. O processo de Leiria, segundo o jornal, será apensado à investigação principal e "piloto" poderá ser também acusado de tentativa de homicídio na sequência deste caso.

O jornal i refere ainda que a PJ terá encontrado várias cartas escritas por Pedro Dias durante a fuga, dirigidas à família. Nas missivas, o alegado autor dos crimes de Aguiar da Beira terá assumido a autoria dos homicídios e pede desculpa aos parentes e companheira por desiludi-los.

A PJ terá igualmente decidido reabrir a investigação relativa a um roubo cometido em 2012, no Alentejo, por suspeitar de que Pedro Dias furtou diversas antiguidades, encontradas agora durante as buscas na casa do suspeito e em casa de familiares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG