Pára-sol gigante pode resolver o aquecimento global

Cientistas acreditam que manipulação da atmosfera pode arrefecer superfície terrestre. Países em desenvolvimento pedem ação urgente, mas técnica ainda não convence

Usar balões ou jactos para criar um pára-sol que seja um escudo contra os efeitos do aquecimento global, parece fição científica, mas trata-se de um plano real que está a ser estudado.

Há muito que os cientistas sabem que ações humanas como a poluição na atmosfera, fumo dos fogos florestais ou erupções vulcânicas podem criar um efeito de arrefecimento. Este conhecimento levou um grupo de cientistas da Universidade de Harvard a propor uma experiência a que chamaram "efeito de perturbação estratosférica controlada", ou abreviadamente SCoPEx. Segundo escreve o jornal The Guardian, a experiência consiste em usar um balão de teste que libertaria aerosóis a uma altura de 20 quilómetros na atmosfera terrestre, de forma a alterar as propriedade reflexivas das nuvens. E é essa manipulação da atmosfera - ou seja, a geoengenharia solar - que torna o processo controverso.

O interesse neste campo da ciência é cada vez maior, mas os seus efeitos e consequências são pouco conhecidos. No entanto, os países em desenvolvimento reclamam para si o direito de terem uma palavra mais forte na hora de decidir o que fazer para controlar o aquecimento global, já que são os mais afetados pelo aumento das temperaturas.

Um grupo de investigadores de países como o Bangladesh, Brasil, China, Etiópia, Índia, Jamaica e Tailândia juntaram-se para defender na revista Nature que os países mais pobres deviam chefiar as investigações nesta área. O artigo foi publicado na terça-feira, dia 3 de abril.

O efeito de arrefecimento da atmosfera é conhecido há muito tempo como " trilhos de condensação dos navios", ou seja ou rastos de poluição criados pelos navios em alto mar, que contêm mais e mais pequenas gosta de água que as nuvens naturais. Fazendo das nuvens mais brilhantes e mais reflexivas à luz do sul.

"Geoengenharia solar - injetar partículas de aerosóis na estratosfera para afastar parte da luz do sol que entra na atmosfera - tem vindo a ser analisada como uma forma rápida de arrefecer o planeta", escreveram os cientistas na Nature.

O único senão é o impacto que esta técnica pode ter. À Reuters, o diretor do centro de estudos avançados do Bangladesh e autor principal do artigo na Nature, Atiq Rahman, admite que a técnica tem efeitos desconhecidos e que podem ser perigosos. "É claro [que a geoengenharia solar] pode ser perigosa, mas precisamos de saber se para países como o Bangladesh, será mais perigoso ou menos do que a subida de 1,5ºC previstos do aquecimento global. Isto é muito importante para as populações dos países em desenvolvimento e as nossas vozes precisam de ser ouvidas."

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG