Novo recorde de testes. Mais de 400 mil realizados num só dia

Portugal atingiu no último dia do ano mais de 30 mil novos casos de covid-19 e no dia 30 atingiu novo recorde de realização de testes de rastreio e um máximo também de taxa de positividade (9,2%). Num só dia, realizaram-se 402 756, segundo dados do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA).

Um novo máximo de testes foi atingido no dia 30 de dezembro: 402.756, dos quais resultou uma taxa de positividade de 9,2%. Deste total, 307.698 (76%) foram testes rápidos de antigénio (TRAg) de uso profissional, revela hoje em comunicado o Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA).

Estes números não incluem autotestes. Desde o dia 1 de dezembro realizaram-se no País mais de 5 milhões de testes à COVID-19, incluindo cerca de 3,6 milhões de TRAg de uso profissional, um valor que está relacionado com as medidas decorrentes da Resolução do Conselho de Ministros n.º 157/2021, de 27 de novembro, nas quais se inclui a necessidade de apresentação de teste negativo para SARS-CoV-2 no acesso a determinados serviços ou locais, bem como o aumento de pontos de testagem em todo o país.

No que diz respeito à sua tipologia, foram efetuados, até à data, cerca 16,6 milhões de testes RT-PCR e 9,9 milhões de TRAg de uso profissional. Os TRAg de uso profissional efetuados nos laboratórios, farmácias e outras entidades habilitadas, aderentes ao regime excecional de comparticipação, voltaram a ser gratuitos desde 19 de novembro, uma medida que abrange toda a população e que foi reforçada com a possibilidade de cada utente passar a poder realizar até seis testes gratuitos, no mês de dezembro, com vista a intensificar a proteção da saúde pública e o controlo da pandemia covid-19.

Até ao final do mês de janeiro, a comparticipação nestes testes é limitada ao máximo de quatro TRAg de uso profissional, por utente. A reativação do regime excecional e temporário de comparticipação dos TRAg visa contribuir para a deteção e isolamento precoce de casos, prevenir e mitigar o impacto da infeção por SARS-CoV-2 nos serviços de saúde e nas populações vulneráveis, assim como reduzir e controlar a transmissão da infeção por SARS-CoV-2 e monitorizar a evolução epidemiológica da covid-19.

Recorde-se que desde o início da pandemia já foram efetuados em Portugal cerca de 26,5 milhões testes de diagnóstico à covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG