Não há duas mulheres iguais para Katty Xiomara

Pier 69 Studio encheu para ver as propostas da designer portuguesa que desfilou pelo Portugal Fashion em Nova Iorque

Katty Xiomara apresentou ontem em Nova Iorque a coleção para o próximo outono-inverno. A criadora portuguesa regressou ao palco do Pier 69 Studio com 45 coordenados, seis meses depois de ter pisado pela primeira vez esta passerelle, com o apoio do Portugal Fashion. Este é o sexto desfile da designer que diz ter nas apresentações um instrumento essencial para a notoriedade da marca. "O aumento das reações sente-se logo a seguir aos desfiles, existem sempre contactos, pessoas que pedem determinadas peças, que acabam por aderir e seguir-nos. O desfile cria um grande buzz que acorda quem não estava tão atento e que de outra forma não olharia para nós", afirma a criadora. Por outro lado, esta divulgação estreita os laços com os pontos de venda na cidade: é uma "forma de lhes dizer que não estão sozinhos, que investimos na promoção da marca".

Para esta coleção, Xiomara regressou ao tema que lhe é caro: o romantismo. É por isso que aparecem materiais como o tule, o brocado sem brilhos, as golas com colarinhos ajustados ao pescoço, as estolas de pelo, os folhos. Há depois uma aposta na sobreposição de texturas, criando visuais muito diferentes: vestidos transparentes, saias inteiramente cobertas por palhetas de cor, casacos plissados e brilhantes. Xiomara sabe que não existe apenas uma mulher e por isso não cria para um tipo de corpo em particular. "Tem também diferentes silhuetas, não se concentra numa única, que vão desde o oversize até à peça extremamente justa", diz a criadora.

Cromaticamente, a designer criou uma espécie de ilusão ótica. "A paleta parece abrangente: concentra-se nos azuis, no preto, nos tons brilhantes do prata e dos nacarados. E depois temos alguns tons quentes, os taupe, os beges e os vermelhos-madeira, quase rosa. Há um crescendo. A coleção é apresentada começando pelos tons mais neutros e vai crescendo chegando até ao preto", disse ainda nos bastidores.

Nesta coleção foi ainda possível apreciar o extremo cuidado na qualidade de materiais e acabamentos. Para Katty esse é um dos pontos mais fortes da marca, a par da criatividade, e uma das razões de decisão de compra em mercados como o americano. Há ainda que salientar um pendor narrativo da coleção, apesar da diversidade. Uma ilustração que faz lembrar os desenhos de um conto infantil clássico é repetida por várias peças de diferentes materiais e a distintas alturas do corpo das manequins. Xiomara diz que "o universo misterioso da floresta e as suas criaturas, o dramatismo da noite e a interminável esperança do dia" foram o ponto de partida para a coleção outono-inverno 2017-18, que dá pelo nome de Amores Impossíveis, mas Dissociáveis.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG