Mulher de 61 anos com problemas cardíacos morre após vacina. ARS aguarda autópsia

ARS-Norte, que confirmou o óbito, não revelou qual foi o fármaco ministrado à mulher.

Uma mulher, de 61 anos e portadora de doença cardíaca, morreu esta quinta-feira depois de ter sido vacinada contra a covid-19, revelou a Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), remetendo informações para após o resultado da autópsia.

"O conselho diretivo da ARS-N confirma o óbito de uma pessoa (...) a ser acompanhada pela equipa de cuidados paliativos do Centro Hospitalar Universitário de São João, EPE, que hoje havia sido vacinada contra a covid-19", refere esta entidade numa resposta enviada à agência Lusa.

Na mesma informação, sem especificar qual a vacina que foi administrada à idosa, é referido que o óbito confirmado é de uma pessoa sexo feminino, de 61 anos de idade, na condição de doente dependente, portadora de doença cardíaca em estado muito avançado.

Aproveitando para, "em primeiro lugar, apresentar à família as mais profundas e sentidas condolências", ARS-N avança que a direção executiva do Agrupamento de Centros de Saúde onde a doente entretanto vacinada estava inscrita "está já a averiguar o cumprimento de todos os procedimentos clínicos definidos".

"A determinação da causa da morte só poderá ser aferida após conhecimento do respetivo resultado da autópsia", termina a resposta.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.890.054 mortos no mundo, resultantes de mais de 133 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG