Ministério Público acusa homem de tentar matar outro a quem devia dinheiro em Matosinhos

O homem convenceu a vítima a "deslocar-se consigo a esse local, com o falso pretexto de o auxiliar na escavação e com a promessa de o compensar monetariamente".

O Ministério Público (MP) acusou um arguido de ter tentado matar com uma enxada um homem a quem devia dinheiro, em dezembro, numa zona de mato em Matosinhos, tendo para isso "delineado um plano", foi hoje anunciado.

Nos termos da acusação, datada de 28 de junho e dada esta sexta feira (22) a conhecer no sítio da Internet da Procuradoria-Geral Distrital do Porto, o arguido, "motivado por dívidas contraídas junto da vítima e dos seus familiares, para poder pagar a esta delineou um plano visando matar a vítima, livrando-se das dívidas e, ainda, de lhe subtrair o dinheiro que trouxesse consigo".

Segundo o MP, para concretizar o referido plano, o arguido, à data com 36 anos, mecânico de profissão e sem antecedentes criminais, "muniu-se de instrumentos que adquiriu num estabelecimento comercial -- marreta, enxada e pá -- e escolheu um local ermo em Perafita, Matosinhos", no distrito do Porto.

No dia 19 de dezembro de 2021, pela manhã, a vítima, à data com 40 anos, segundo a acusação, foi atraída ao local escolhido pelo arguido "sob o pretexto de que naquele local ermo estaria enterrado um cofre com elevada quantia monetária", pertença de um familiar do arguido.

O homem convenceu a vítima a "deslocar-se consigo a esse local, com o falso pretexto de o auxiliar na escavação e com a promessa de o compensar monetariamente".

Uma vez no local, "após a vítima iniciar a escavação, de forma traiçoeira, abrupta e inesperada, com os aludidos instrumentos, o arguido desferiu na vítima diversas pancadas na cabeça e, perante a resistência desta, mas já caída no chão, muniu-se de um paralelo que encontrou no local e desferiu-lhe mais pancadas, só não a matando pela intervenção de populares que ali passaram e o travaram, bem como da assistência médica que foi prontamente prestada à vitima".

A vítima encontra-se ainda em tratamento médico às sequelas sofridas.

O arguido, que foi detido em 29 de dezembro, encontra-se presentemente sujeito à medida de coação de obrigação de permanência na habitação.

No dia da tentativa de homicídio, a vítima foi levada para o hospital em estado grave, tendo sido submetida a uma cirurgia de urgência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG