Níveis de inflação têm "impacto muito forte" na vida das famílias

No Parlamento, Fernando Medina afirmou que "Portugal apresenta uma inflação abaixo da zona euro, aliás, é um dos países com inflação mais baixa da zona euro, apesar do valor bastante acima do que estamos habituados".

O ministro das Finanças, Fernando Medina, reconheceu esta quinta-feira que os elevados níveis de inflação têm "um impacto" muito forte nas empresas e nas famílias, particularmente nas mais vulneráveis, defendendo ser esta noção que tem dirigido a ação do Governo.

"[A inflação] É obviamente um elemento com impacto muito forte do ponto de vida das famílias, de vários segmentos de rendimento, em especial dos mais vulneráveis. É também naturalmente uma área com fortíssimo impacto no andamento da economia, na vida das empresas, na forma como a atividade económica se desenvolve", disse hoje numa audição conjunta da Comissão de Assuntos Europeus e da Comissão de Orçamento e Finanças, no parlamento.

Perante os deputados, Fernando Medina defendeu que "é precisamente na base desse reconhecimento que toda a ação do Governo tem sido dirigida", garantindo, em resposta às questões colocadas várias vezes sobre o impacto no dia a dia, que "em circunstância alguma" desvalorizou o "impacto que a atual situação traz para as famílias".

O governante recordou ainda as previsões da Comissão Europeia, divulgadas hoje, que preveem uma taxa de inflação para Portugal de 6,8% este ano, para salientar que ainda assim se situa abaixo dos 7,6% previstos para a zona euro.

"Relativamente à inflação, Portugal apresenta também uma inflação abaixo da zona euro, aliás, é um dos países com inflação mais baixa da zona euro, apesar do valor bastante acima do que estamos habituados", vincou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG