Marcelo expressa solidariedade ao Presidente de São Tomé e Príncipe após chuvas torrenciais

Chuvas torrenciais provocaram pelo menos duas mortes e vários desaparecidos em São Tomé e Príncipe. "Há infraestruturas destruídas e quem vê pela primeira vez parece que saímos de um cenário de guerra, tal a destruição", afirmou o Presidente da República são-tomense.

O Presidente da República expressou esta quinta-feira ao seu homólogo de São Tomé e Príncipe a solidariedade de Portugal face à situação no país, depois das chuvas torrenciais que provocaram pelo menos duas mortes e vários desaparecidos.

De acordo com um comunicado divulgado na página oficial da Presidente da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa falou com o Presidente da República são-tomense, Carlos Vila Nova, "para testemunhar, em nome de todos os portugueses, a solidariedade pela calamidade que ocorreu numa área daquele país".

Hoje, o Presidente de São Tomé e Príncipe afirmou que as chuvas torrenciais dos últimos dois dias provocaram um alto nível de destruição e que a ilha ficou a parecer um cenário pós-guerra.

Pelo menos duas crianças morreram e há pessoas desaparecidas.

"Há infraestruturas destruídas e quem vê pela primeira vez parece que saímos de um cenário de guerra, tal a destruição", afirmou Carlos Vila Nova na tarde de quarta-feira, após visitar várias comunidades dos distritos de Lobata e Lembá, no norte da ilha de São Tomé, que sofreram altos níveis de destruição devido às chuvas.

Os Serviços de Proteção Civil e Bombeiros, e as forças militares e paramilitares, incluindo a Polícia de Segurança Pública, ainda estão no terreno a calcular os dados reais dos prejuízos causados pelas inundações.

No centro da cidade, dezenas de comerciantes e trabalhadores ainda limpam os restos de terra e águas que invadiram vários estabelecimentos comerciais em níveis nunca antes vistos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG