Região de Lisboa com quase 60% dos novos casos

Portugal registou mais 573 casos de covid-19 e 3 mortes nas últimas 24 horas. Há agora 265 pessoas hospitalizadas com covid-19, 51 das quais em cuidados intensivos.

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 573 casos de covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado este sábado (5 de junho). De acordo com os dados foram contabilizados, no mesmo período, 3 mortes devido à infeção por SARS-CoV-2 .

Há agora 265 pessoas hospitalizadas, menos duas que no dia anterior. Deste total 51 estão em cuidados intensivos, também menos duas do que as registadas no boletim de sexta-feira.

Há agora 23 362 casos ativos de covid-19 no país, menos 111 que no dia anterior.

O padrão de distribuição geográfica mantém-se: a região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) lidera o número de novos casos, contando 334 - 58,2% do total. A mesma região regista também dois dos três óbitos (o terceiro ocorreu na região centro).

No norte foram contabilizados 120 novos casos nas últimas 24 horas e no centro 65. No Algarve registaram-se 16 novos casos e no Alentejo cinco.

Quanto às regiões autónomas, os Açores contam 22 novos contágios e a Madeira 11.

A taxa de incidência e o índice de transmissibilidade não são atualizados ao sábado. Ontem, verificou-se uma subida da incidência de 66, 4 casos por 100 mil habitantes a nível nacional para 69,8, e de 63,7 no Continente para 67,5 - o que significa um aumento de 3,4 no país e de 3,8 no Continente.

Quanto à transmissibilidade, R(t), a subida foi de 1,07 a nível nacional para 1,08. E de 1,08 para 1,10 no Continente.

Lisboa e Vale do Tejo em vias de atingir 120 casos por 100 mil habitantes

A região de Lisboa e Vale do Tejo pode atingir os 120 casos de infeção por cem mil habitantes dentro de menos de 15 dias, caso se mantenha a tendência crescente de transmissão do vírus SARS-CoV-2, de acordo com a previsão do relatório de monitorização das "linhas vermelhas" da pandemia divulgado sexta-feira pela Direção-Geral da Saúde (DGS) e pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA). O mesmo documento adianta que o R(t) apresenta valores superiores a 1 a nível nacional (1,08) e em todas as regiões do continente.

Esta tendência crescente do Rt - que estima o número de casos secundários de covid-19 resultantes de uma pessoa infetada - é "mais acentuada na região de Lisboa e Vale do Tejo" e está já nos 1,16, indicam a DGS e o INSA

"Mantendo-se esta taxa de crescimento, o tempo para atingir a taxa de incidência acumulada a 14 dias de 120 casos por cem mil habitantes será de 15 a 30 dias para o nível nacional e menos de 15 dias para a região de Lisboa e Vale do Tejo", aponta a análise de risco das autoridades de saúde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG