Portugal com mais 511 casos e perto da zona amarela na matriz de risco

Índice de transmissibilidade nacional subiu para 1.02 no dia em que morreram mais duas pessoas devido à covid-19. Internamentos continuam a descer. Há hoje menos 22 pessoas internadas do que na terça-feira, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.

Os novos casos continuam a subir em Portugal. Nas últimas 24 horas foram registados 511 novas infeções de covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). É número mais alto desde 28 de abril, quando a DGS comunicou 572 novos casos. São mais 125 casos do que os de terça-feira (386) e mais do dobro dos reportados na segunda-feira (199).

A região de Lisboa e Vale do Tejo volta a ser a que concentra mais novos infetados, registando metade (250) do total das últimas 24 horas (511). A região norte reportou 143 infeções, o centro 40, o Algarve 27 e o Alentejo 10. Os Açores registaram 27 novos casos e a Madeira mais 17.

O relatório desta quarta-feira (19 de maio) refere também que morreram mais duas pessoas devido à infeção pelo novo coronavírus, um na região norte e outra na região centro, ambos na casa etária dos 60 aos 79 anos.

Os internamentos continuam a baixar. Estão agora internados 211 doentes, dos quais 56 em unidades de cuidados intensivos, sendo que recuperaram mais 417 pessoas da infeção por SARS-CoV-2, elevando para 804 176 o número total de casos recuperados.

Índice de transmissibilidade continua a subir

O R(t) ultrapassou esta quarta-feira o valor 1 pela primeira vez desde 19 de abril, sendo agora de 1,02 a nível nacional e 1,01 a nível continental. Trata-se de uma subida em relação à última atualização da DGS, na segunda-feira, quando o índice de transmissibilidade era de 1.

Porrugal fica assim perto do amarelo na matriz de risco, que indica em que nível está o país, para se avaliar se o plano de desconfinamento prossegue como previsto ou se é necessário fazer marcha atrás.

A taxa de incidência também subiu, estando atualmente nos 51,4 casos por cada 100 mil habitantes a nível nacional e nos 48,3 casos a nível continental.

Novas regras de acesso às praias

Dados da pandemia em Portugal atualizados no dia em que entram em vigor as novas regras para acesso às praias e zonas balneares. O diploma publicado em Diário da República estabelece coimas para quem não cumpra as regras, que vão de 50 a 100 euros, para pessoas singulares, e de 500 a 1000 euros, no caso de pessoas coletivas.

O uso de máscara nos acessos à praia e na utilização dos apoios, restaurantes ou instalações sanitárias e o distanciamento social entre pessoas e grupos no areal são algumas das regras que estão em vigor a partir de hoje.

UE aceita reabrir fronteiras a todos os viajantes que têm a vacinação completa

Esta quarta-feira fica marcada também pelo anúncio da Comissão Europeia de que o Conselho da União Europeia (UE) chegou a um acordo que permite a entrada no espaço comunitário de pessoas com a vacinação contra a covid-19 completa vindas de países terceiros.

"Hoje, os embaixadores da UE concordaram em atualizar a aprovação de viajar do exterior para a União Europeia e o Conselho recomenda que os Estados-membros aliviem algumas das restrições, nomeadamente para pessoas já completamente vacinadas", anunciou, na conferência de imprensa diária da Comissão Europeia, o porta-voz para a Justiça, Christian Wigand.

UE ultrapassou a meta de 200 milhões de vacinas administradas

O porta-voz acrescentou ainda que a lista dos países de onde são permitidas viagens para a UE será revista, com a flexibilização dos critérios da taxa de incidência do vírus utilizados e que é aumentada de 25 para 75 casos por 100 000 habitantes durante os últimos 14 dias.

Um acordo no alívio das retrições nas viagens que surge no dia em que a UE ultrapassou a meta de 200 milhões de vacinas administradas.

"Hoje passámos os 200 milhões de vacinações na UE", anunciou a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, na sua conta na rede social Twitter.

"Estamos no caminho certo para atingir o nosso objetivo: fornecer doses suficientes para vacinar 70% da população adulta da UE até julho", salientou a chefe do executivo comunitário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG