Lisboa vai ter parada de Natal

As ruas lisboetas vão ser iluminadas no dia 1 de dezembro e este ano haverá uma parada com história. Luzes de natal representam investimento de 650 mil euros

O Pai Natal, os duendes e outras figuras características da época natalícia vão desfilar pela primeira vez nas ruas de Lisboa. A primeira parada acontece a 1 de dezembro, no mesmo dia em que as luzes de natal são inauguradas pelo presidente da câmara às 18.00, no Terreiro do Paço.

A 2 e 3 de dezembro haverá três paradas diárias, "que percorrerão a baixa de Lisboa, o Chiado ou o Bairro Alto e farão paragens em lojas históricas" o objetivo é cativar as pessoas a acompanhar a parada, levando-as "a conhecer o comércio da cidade, uma vez que existem muitas lojas com história que as pessoas não conhecem", explicou ao DN Carla Salsinha, presidente da União de Associações de Comércio e Serviços (UACS).

A iluminação das ruas lisboetas, à semelhança do ano passado, tem "a preocupação de iluminar não só as zonas centrais que tradicionalmente eram iluminadas na cidade, mas também iluminar outras zonas com prevalência comercial para a dinamização do comércio", anunciou Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, numa conferência de imprensa onde foi divulgada a programação de Natal e Ano Novo prevista para a cidade.

Este ano, uma vez que já terminaram as obras na Avenida Fontes Pereira de Melo e na Avenida da República estas serão também iluminadas.

Apesar do número de ruas iluminadas ser elevado o custo será inferior ao do ano passado: um investimento de 650 mil euros (menos 110 mil). Além disso as lâmpadas utilizadas serão de iluminação Led, o que reduz o consumo de eletricidade em 80 %, segundo o presidente.

A Árvore de Natal do Terreiro do Paço terá 30 metros de altura e 86 mil lâmpadas. A do Rossio será menor, mas em contrapartida este espaço recebe o Mercado de Natal.

Natal interconfessional e concertos portugueses no ano novo

Numa vertente mais cultural a programação é de concertos de natal e de ano novo. Como já é tradição são promovidos entre 1 e 17 de dezembro vários concertos em igrejas que este ano são alargados a outros espaços de culto como o Centro Ismaili de Lisboa e o Templo Radha Krishna, anunciou Catarina Vaz Pinto, vereadora da Cultura, acrescentando que Lisboa é uma cidade cada vez mais intercultural.

Com a novidade, o município pretende mostrar uma Lisboa "aberta e tolerante" às várias comunidades religiosas que habitam na cidade, explanou. Espaços de culto na Avenida de Berna ou no Parque das Nações também serão abrangidos para descentralizar as festividades.

Para a programação de fim de ano - que a autarquia apelida de "Super Ano Novo" -, haverá concertos na Praça do Comércio, de 29 a 31 de dezembro.

A 29 de dezembro, atua a fadista Ana Moura, e, no dia seguinte, o palco na Praça do Comércio será reservado à música africana, com atuações da cantora de ascendência cabo verdiana Lura e do angolano Bonga, referiu a vereadora.

Para a passagem de ano, as festividades arrancam às 22:00 com concerto de Marta Ren & The Groovelvets, seguido da atuação dos Capitão Fausto.

Depois do espetáculo pirotécnico, acompanhado da música do duo Beatbombers (Stereossauro e DJ Ride), segue-se um concerto que junta vários artistas portugueses que vão cantar hits do 'pop-rock' português, num evento com direção artística de Luís Varatojo, contou Catarina Vaz Pinto.

Após a meia-noite, sobem ao palco nomes como Ana Bacalhau, Lena D'Água, Viviane e Samuel Úria, num concerto "para a família" e que junte diferentes gerações, realçou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG