Linhas vermelhas: mortalidade deve aumentar entre os mais velhos

O número de internamentos em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) regista uma "tendência estável a decrescente", mas a mortalidade deve manter-se elevada decido ao aumento de casos entre os maiores de 80

A mortalidade por Covid-19 em Portugal é "elevada" e deve até aumentar nas próximas semanas. Em causa está a subida de novas infeções nas faixas etárias mais velhas, acima dos 80 anos.

O alerta vem no mais recente relatório de monitorização das linhas vermelhas, da Direção-Geral da Saúde (DGS) e do Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge, que assinala a desaceleração da pandemia a nível nacional, mas realça esse dado relevante: o grupo etário acima dos 80 anos é o único que mantém uma tendência de crescimento de casos, apesar de ser aquele que tem maior percentagem de vacinados e a taxa de incidência de novas infeções mais baixa (168 novos casos por cada 100 mil habitantes).

Por isso, destaca o relatório, a "tendência" entre os maiores de 80 anos pode traduzir-se no aumento de internamentos e de mortes nas próximas semanas, sabendo-se que os idosos são uma população de maior risco.

Isto apesar de "a pressão sobre os cuidados de saúde dar indicação de estabilização ou início de diminuição", nota. O número de internamentos em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) regista uma "tendência estável a decrescente", com redução de cinco pontos percentuais face à semana passada, informa o relatório.

"O número de casos de COVID-19 internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) no continente revelou uma tendência estável a decrescente, correspondendo a 77% (na semana anterior foi de 82%) do valor crítico definido de 255 camas ocupadas. O maior número de internados observa-se atualmente na região de LVT [Lisboa Vale do Tejo] (106), onde foi ultrapassado o limiar crítico regional definido", refere o documento da Direção-Geral de Saúde (DGS) e do Instituto Nacional Doutor Ricardo Jorge (INSA).

De acordo com o relatório, na quarta-feira registaram-se 196 doentes internados em UCI, dos quais 54% correspondem à região LVT, representando 103% do limite regional de 103 camas definido no documento.

O grupo etário com maior número internamentos em UCI é o dos 60 aos 79 anos, tendo-se registado, nesta última faixa, 88 novos casos na quarta-feira.

A variante Delta (B.1.617.2), originalmente associada à Índia, é a variante dominante em todas as regiões, com uma frequência relativa de 98,3% dos casos avaliados na semana 29/2021 (19 a 25 de julho) em Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG