Cerca de 1500 operacionais combatem fogos "no pior dia do ano em matéria de incêndios florestais"

Bombeiros combatem as chamas do incêndio da Lousã, em Vila Chã, Vila Nova de Poiares

Fogos em Monção, o de Seia, o de Vale de Cambra, Lousã, Sertã e Arganil destacam-se como os mais graves

Este está a ser "o pior dia do ano em matéria de incêndios florestais", disse hoje a porta-voz da proteção Civil. "Já ultrapassámos os 303 incêndios desde a meia-noite", afirmou Patrícia Gaspar, no 'briefing' das 17:30 aos jornalistas, sublinhando que estavam àquela hora "todos os meios disponíveis empenhados no combate aos incêndios".

Às 17:30 existiam 13 incêndios de importância elevada, destacando-se como mais graves os de Monção, o de Seia, o de Vale de Cambra, Lousã, Sertã e Arganil. Cerca de 1500 operacionais combatiam as chamas no terreno.

Patrícia Gaspar, adjunta do comando nacional da ANPC, disse à agência Lusa que os incêndios que mobilizam o maior número de meios são os que lavram nos concelhos de Monção (Viana do Castelo), Seia (Guarda) e Lousã (Coimbra).

No caso do incêndio de Monção, que começou às 20:21 de sábado, Patrícia Gaspar adiantou que dois idosos foram retirados da localidade de Bela "por prevenção devido ao fumo" e duas casas foram afetadas pelas chamas em S. Paio e Velhas, sendo uma das habitações desabitada.

A mesma responsável afirmou que estão meios de socorro no local para garantir a proteção das habitações em cinco localidades do concelho de Monção, que está a ser combatido por 172 operacionais, 55 viaturas e dois meios aéreos.

A vice-presidente da câmara de Monção disse, entretanto, à Lusa que este incêndio encontra-se "completamente descontrolado" e já "consumiu" várias casas.

Patrícia Gaspar disse que o incêndio que lavra no concelho da Lousã "está intenso e muito ativo". Este incêndio tem três frentes ativas e levou, às 13:00, a evacuação das localidades de Serpins, Alcaide, Póvoa e Boque, na freguesia de Serpins e em território da União de Freguesia de Lousã e Vilarinho, adiantou um oficial do Comando Territorial de Coimbra da GNR.

O fogo em mato e pinhal que deflagrou às 06:03 de hoje no concelho de Seia é "de grande dimensão e tem quatro frentes ativas", adiantou Patrícia Gaspar, sustentando que já foram retiradas pessoas das casas e estão meios de proteção em várias aldeias.

Cerca de 30 pessoas foram retiradas das suas casas por precaução em aldeias do concelho de Seia, onde lavra um incêndio florestal, disse o presidente da Câmara, Carlos Filipe Camelo, à agência Lusa.

No combate às chamas estão 263 operacionais, 83 viaturas e um meio aéreo.

Patrícia Gaspar adiantou ainda que também no concelho da Guarda há outro incêndio de grande dimensão a lavrar, além dos fogos nos distritos de Viseu e Braga.

A adjunta do comando nacional da ANPC disse ainda que desde as 00:00 de hoje registaram-se 129 incêndios florestais.

Relacionadas

Últimas notícias

Brand Story

Tui

Mais popular

  • no dn.pt
  • Sociedade
Pub
Pub