Timor aprova apoio de 1,5 milhões de dólares para vítimas de fogos em Portugal

O Governo timorense aprovou hoje um pacote de assistência de 1,5 milhões de dólares (1,33 milhões de euros) em ajuda humanitária para apoio às vítimas dos incêndios florestais deste mês.

Avelino Coelho, secretário de Estado do Conselho de Ministros, disse aos jornalistas que a decisão foi aprovada na reunião de hoje do Governo que renovou os votos de pesar para os familiares das vítimas dos fogos.

Os fundos serão contabilizados no componente de apoio humanitário do Orçamento do Estado de 2017.

Pelo menos 64 pessoas morreram e mais de 150 ficaram feridas em resultado do incêndio que deflagrou em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, chegando depois aos distritos de Castelo Branco e Coimbra.

O incêndio consumiu cerca de 26.000 hectares de floresta, de acordo com dados do Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais, destruindo várias casas e outros bens privados.

Antes, o Governo timorense já tinha expressado pesar pela "catástrofe" e "perda de vidas", saudando o trabalho que tem sido feito pelos bombeiros.

"A perda de vidas é absolutamente trágica. Os pensamentos e as preces do povo de Timor-Leste estão com as nossas irmãs e irmãos de Portugal", disse Rui Araújo, o primeiro-ministro timorense, numa mensagem divulgada no portal do Governo.

A nota refere que o "conhecimento do estado de catástrofe e perda de vidas causado pelos incêndios" levou o executivo a "enviar uma mensagem de solidariedade" ao Governo e povo portugueses.

"O Governo de Timor-Leste apresenta as suas condolências às famílias e amigos daqueles cujas vidas se perderam e envia uma mensagem de apoio ao Presidente Marcelo Rebelo de Sousa e ao primeiro-ministro António Costa, neste momento difícil", refere o comunicado.

"O Governo também deixa uma palavra de reconhecimento ao trabalho feito pelos bombeiros e outros elementos de intervenção local, que enfrentam com coragem condições extraordinariamente difíceis", sublinha.

Também o Presidente da República, Francisco Guterres Lu-Olo, manifestou o seu pesar e solidariedade com as vítimas dos fogos que têm assolado a zona de Pedrógão Grande e de outras localidades do centro de Portugal.

"É com tristeza que acompanhamos as notícias dos fogos que ocorreram em Pedrógão Grande. Em nome do Estado e do povo de Timor-Leste quero expressar as nossas sentidas condolências às famílias enlutadas e a nossa solidariedade com o povo irmão de Pedrógão Grande", disse em comunicado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.