Proteção civil confirma seis mortos pelos incêndios

ATUALIZADA Proteção Civil apelidou este como "o pior dia" dos incêndios

Foram pelo menos seis as pessoas que morreram e 25 as que ficaram feridas nos incêndios que este domingo lavram nas zonas norte e centro do país.

Duas pessoas morreram em Penacova (distrito de Coimbra), uma na Sertã (distrito de Castelo Branco) e duas em Oliveira do Hospital, no distrito de Coimbra (uma das quais foi atropelada mortalmente na Autoestrada 25). Uma sexta vítima mortal foi registada em Nelas (distrito de Viseu), tratando-se uma pessoa que estava dada como desaparecida.

Além destes seis mortos diretamente relacionados com os incêndios que atingem o país, há registo de mais uma morte, num acidente de automóvel na A25, que se deu quando a jovem vítima tentava fugir da zona em chamas circulando na autoestrada em contramão:

Quanto aos feridos, a maioria são bombeiros, com ferimentos ligeiros decorrentes do combate às chamas. No entanto, quatro pessoas podem ter queimaduras graves.

Patrícia Gaspar disse no 'briefing' à imprensa que são 108 os incêndios que se mantêm ativos e 33 são considerados de "importância elevada".

Este está a ser "o pior dia do ano em matéria de incêndios florestais", segundo disse hoje a porta-voz da proteção Civil

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.