Detetados 95 novos planetas fora do Sistema Solar

Os novos exoplanetas foram identificados a partir de uma lista de 275 candidatos

O telescópio norte-americano Kepler detetou 95 novos planetas fora do Sistema Solar, divulgou esta quinta-feira a Universidade Técnica da Dinamarca, que participou na investigação.

Os novos exoplanetas foram identificados de uma lista de 275 candidatos, dos quais foram validados 149 como verdadeiros. Contudo, destes apenas 95 eram novos.

Os resultados da descoberta, que envolveu uma equipa internacional de astrónomos a analisar os dados, foram publicados na revista científica Astronomical Journal.

Os 95 planetas extrassolares vêm engrossar a lista de exoplanetas, que totalizam 3.600 com tamanhos variáveis entre Terra e Júpiter.

O telescópio Kepler foi lançado em 2009 para 'caçar' exoplanetas numa determinada zona do céu.

Os planetas extrassolares são detetados a partir da redução do brilho da estrela-hospedeira quando o planeta passa em sua frente (método de trânsito).

Com o novo telescópio espacial James Webb, cujo lançamento está previsto para 2019, com um ano de atraso, os astrónomos esperam estudar e caracterizar melhor exoplanetas do tamanho da Terra capazes de eventualmente suportar vida tal como se conhece.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.