Descoberto esqueleto de homem que morreu esmagado a tentar fugir de Pompeia

O diretor da escavação, Massimo Osanna, considerou esta descoberta "excecional"

Arqueólogos italianos descobriram o esqueleto de um homem que morreu esmagado por uma enorme pedra quando tentava escapar à erupção do Vesúvio, em 79 AD.

A vítima teria mais de 30 anos e uma infeção na perna que pode ter dificultado a fuga, já que terá sobrevivido à primeira fase da erupção - morreu com o tórax esmagado por uma pedra que terá caído de um edifício, explicam os arqueólogos.

Responsáveis pelo sítio arqueológico divulgaram esta terça-feira imagens dos restos mortais, nas quais é visível também a ausência do crânio, que não foi encontrado.

O diretor da escavação, Massimo Osanna, considerou esta descoberta "excecional".

Mais de mil vítimas da erupção catastrófica do Vesúvio foram encontradas e escavadas em Pompeia desde que os primeiros restos mortais foram encontrados, no século XVIII.

Grande parte da cidade romana permanece enterrada debaixo das várias camadas de cinza expelidas pelo vulcão, mas o que foi escavado permitiu um retrato instantâneo daquela sociedade.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).