Cientistas já descobriram a origem do misterioso sinal de rádio detetado no espaço

E não, não eram extraterrestres a tentar comunicar connosco.

Uma interferência de satélites distantes foi a responsável por um sinal de rádio "estranho" detetado na semana passada por uma equipa de cientistas em Arecibo, Porto Rico. O sinal era proveniente do espaço, mais propriamente da estrela Ross 128, uma anã vermelha que fica a 11 anos-luz de distância. E pensou-se que poderia ter origem em qualquer forma de vida.

No entanto, Abel Mendez, diretor do Laboratório de Habitalidade Planetárias da Universidade Porto Rico, tinha muitas dúvidas de que tal se viesse a confirmar: "Tenho Piña Colada a postos para celebrar se os sinais tiverem natureza astronómica", escreveu.

Segundo os cientistas havia três explicações possíveis para os sinais de rádio detetados; emissões de erupções de tipo II da própria estrela, emissão de outro objeto no mesmo campo de visão de Ross 128 ou até mesmo um incêndio nos motores de um satélite terrestre.

Agora, parece que os astrónomos já resolveram o mistério: tratava-se de uma transmissão de um ou mais satélites geoestacionários, segundo a equipa do SETI, Centro de Investigação de Inteligência Extraterretre, de Berkeley, da Universidade da Califórnia. Os sinais apenas apareceram perto do Ross 128 por uma questão de proximidade, explica também Abel Mendez nas suas conclusões. O campo de visão do Observatório Arecibo é grande o suficiente, por isso havia essa possibilidade de os sinais não terem sido provocados pela estrela, mas por outro objeto que estava na mesma linha de visão, tinha já alertado.

Ler mais

Exclusivos