38 milhões de pedaços de lixo em ilha no Pacífico

Soldados de brincar, dominós, escovas de dentes e centenas de capacetes de todos os tamanhos, feitios e cores entre os objetos encontrados

Um grupo de investigadores encontrou 38 milhões de pedaços de lixo numa pequena ilha desabitada no Pacífico, sobre a qual publicou hoje um artigo numa revista científica.

Quase todo o lixo encontrado na ilha de Henderson era plástico, incluindo soldados de brincar, dominós, escovas de dentes e centenas de capacetes de todos os tamanhos, feitios e cores.

Os investigadores dizem que a densidade do lixo foi a mais elevada a ser registada em qualquer local do mundo, apesar de a ilha Henderson ser extremamente remota e minúscula. A ilha está localizada a meio caminho entre a Nova Zelândia e o Chile e é reconhecida como património mundial da UNESCO.

A investigadora da Universidade da Tasmânia Jennifer Lavers liderou a autoria do relatório, que foi hoje publicado na revista "Proceedings of the National Academy of Sciences."

Ler mais

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.