A Europa e as suas oportunidades são tema de conversa com o IPDJ

Eduarda Marques, Diretora Regional de Lisboa e Vale do Tejo e Diretora do Centro de Juventude de Lisboa, foi a oradora convidada do Espaço Público Europeu - Rep Com Europeia em Portugal, que apoiaram a iniciativa "Falando da Europa", onde se abordou o tema "Desenvolvimento e Cidadania Ativa dos Jovens através dos programas do IPDJ e Erasmus+ JA".

Os alunos da Escola Secundária Rainha D. Leonor e os da Escola Profissional de Artes, Tecnologia e Desporto (EPAD tiveram oportunidade de conhecer a oradora e foram ainda apresentados a Fernanda Fernandes, representante do Espaço Europa. Conversaram com as duas e esclareceram as suas dúvidas, relativamente aos temas apresentados, uma vez que muitos deles se encontram na reta final do seu percurso escolar e estão à procura de soluções de futuro.

A sessão teve como principal função o esclarecimento destes jovens e prepará-los para enfrentarem o mercado de trabalho com enfoque nas possibilidades europeias. Neste âmbito, a Dra. Eduarda Marques referiu que "existe uma vida para além da escola" e que cada vez é mais importante os jovens desenvolverem outras atividades que constituam uma mais-valia para o seu crescimento enquanto pessoas e profissionais.

No final da exposição oral, os alunos foram os repórteres do dia, tendo como tema principal a Europa. Em diferentes suportes (papel, vídeo e rádio), tiveram oportunidade de pesquisar e escrever notícias para depois criarem um noticiário. De seguida, visitaram as redações do Diário de Notícias e da TSF.

O centro educativo Media Lab tem como principal objetivo promover a literacia mediática e formar cidadãos ativos. Visite o projeto em www.medialab.dn.pt.

Ler mais

Premium

JAIME NOGUEIRA PINTO

O arauto da revolta popular

Rejeição. Não é, por enquanto, senão isso. Não pelos reaccionários, pelos latifundiários, pelos generais golpistas, pelos fascistas declarados ou encapotados, mas pelo povo brasileiro, que vota agora contra a esquerda dita idealista - e notoriamente irrealista quanto à natureza humana (sobretudo à própria) - que montou um "mecanismo" de enriquecimento ilícito e de perpetuação no poder digno dos piores hábitos do coronelismo e do caciquismo que os seus antepassados ideológicos, de Josué de Castro a Celso Furtado, tanto criticaram. Um povo zangado, enganado, roubado, manipulado pelos fariseus da tolerância, dos direitos humanos e das flores de retórica do melhor dos mundos, pelos donos de tudo - do pensamento único aos recursos do Estado.