Inês de Medeiros diz que oferta da Carris Metropolitana em Almada é reforçada na sexta-feira

Serviço da Carris Metropolitana para os períodos da manhã e da noite reforçada nas linhas 3009, 3012, 3022, 3030, 3507 e 3710.

A presidente da Câmara Municipal de Almada assegurou esta quinta-feira que, a partir de sexta-feira, será reforçada a oferta da Carris Metropolitana para os períodos da manhã e da noite nas linhas 3009, 3012, 3022, 3030, 3507 e 3710.

Numa mensagem na sua página no Facebook Inês de Medeiros explica que esta alteração "resulta da auscultação aos munícipes, bem como, da pressão e trabalho conjunto da Câmara Municipal de Almada e da Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML), para resolver alguns dos constrangimentos identificados desde o início da operação".

A autarca adianta que, no sentido de continuar a melhorar o transporte público em Almada, a Câmara Municipal de Almada criou o e-mail sugestoes.carris@cma.m-almada.pt para recolher as questões, alertas e sugestões, com o compromisso de as fazer chegar à TML para a devida ponderação e correção quando necessária.

"Contamos com todos para melhorar os transportes públicos rodoviários em Almada", salienta Inês de Medeiros.

Na terça-feira, vários munícipes do concelho de Almada, distrito de Setúbal, criticaram o serviço prestado no concelho pela Carris Metropolitana, durante a reunião extraordinária da Assembleia Municipal, alertando que existem menos carreiras e menos autocarros a circular.

A supressão de carreiras antigas como a que faz a ligação entre Almada e o Areeiro, em Lisboa, assim como de outras para locais de trabalho dentro do próprio concelho, como é o caso do Almada Fórum, foram alguns dos problemas relatados pelos munícipes na reunião da Assembleia Municipal que decorreu na noite de terça-feira.

A operação da Carris Metropolitana iniciou o serviço na chamada área 3, composta por Almada, Seixal e Sesimbra a 01 de julho, um mês depois de Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal.

Residentes na Costa da Caparica, Laranjeiro, Lazarim, Aroeira, Sobreda e Charneca da Caparica relataram a supressão de carreiras e questionaram os horários dos novos autocarros, indicando que não são compatíveis com as necessidades dos utentes que precisam de transporte para trabalhar ou estudar e reclamam que sejam retomados os horários antigos até à estabilização do serviço.

Em resposta às queixas dos munícipes, a presidente da Câmara Municipal de Almada, Inês de Medeiros, disse na reunião que partilha do mesmo sentimento de frustração em relação ao início da operação e assegurou que muitos dos problemas que têm sido relatados pelos utentes foram transmitidos à Transportes Metropolitanos de Lisboa (TML) com vista à sua resolução.

Inês de Medeiros disse ainda na reunião que alguns dos problemas apontados deveriam estar resolvidos até sexta-feira, uma garantia igualmente dada pelo presidente da TML, que também assistiu à reunião extraordinária da Assembleia Municipal de Almada.

A Carris Metropolitana é a marca comum sob a qual funcionam operações de transporte público rodoviário na Área Metropolitana de Lisboa, gerindo as redes municipais de 15 dos 18 municípios (Barreiro, Cascais e Lisboa mantêm as operações locais) e a totalidade da operação intermunicipal dos 18 concelhos.

A área 1 inclui Amadora, Cascais, Lisboa, Oeiras e Sintra; a área 2 Loures, Mafra, Odivelas e Vila Franca de Xira; a área 3 Almada, Seixal e Sesimbra; e a área 4 Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela e Setúbal.

O início da operação da Carris Metropolitana nos concelhos da margem norte do Tejo, no distrito de Lisboa (áreas 1 e 2), foi adiado para 01 de janeiro de 2023, por não estarem "garantidas as condições consideradas essenciais".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG