Homem que matou ex-companheira, ex-sogros e ex-enteado conhece hoje a sentença

As quatro mortes ocorreram na sequência de "conflitos com a posse de terrenos e o recebimento das respetivas rendas" entre o alegado homicida e uma das vítimas, adianta o MP

O homem que matou a tiro a ex-companheira, ex-sogros e ex-enteado a 28 de abril de 2015, na Estela, Póvoa de Varzim, conhece hoje a sentença no Tribunal de Matosinhos.

No julgamento, iniciado a 10 de fevereiro, o arguido de 42 anos confessou os crimes, sem demonstrar qualquer emoção, e disse "não conseguir entender como fez aquilo que fez".

Nas alegações finais, o Ministério Público (MP) pediu pena máxima, 25 anos de prisão, para o homicida confesso por considerar que quis "efetivamente matar estas quatro pessoas" porque as atingiu a curta distância e em zonas vitais.

De acordo com a acusação do MP, o arguido armou-se "com uma pistola e com um revólver carregados, assim como com várias munições de reserva, dirigiu-se à Rua Comendador Araújo, na Estela, Póvoa de Varzim, à casa onde a sua anterior companheira vivia com os pais, e abateu-os a tiro, bem como a um filho que aquela tinha de uma anterior relação".

As quatro mortes ocorreram na sequência de "conflitos com a posse de terrenos e o recebimento das respetivas rendas" entre o alegado homicida e uma das vítimas, adiantou.

Ao arguido, em prisão preventiva desde o dia 29 de abril de 2015 - data em que foi detido na A3, em Valença, a dois quilómetros da fronteira espanhola, depois de se despistar - estão imputados quatro crimes de homicídio qualificado, três crimes de ameaça agravada, um crime de detenção de arma proibida e um crime de uso e porte de arma sob efeito de álcool.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG