Governo diz que não haverá falta de profissionais de saúde na vacinação

Lacerda Sales acrescentou ainda que "tudo aquilo" que a `task force´ necessitar em termos de recursos humanos o Governo dará suporte.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde afirmou esta quarta-feira que não haverá falta de profissionais de saúde no processo de vacinação contra a covid-19, sublinhando a existência de diferentes mecanismos legais de contratação.

"Não haverá, garantidamente, qualquer tipo de dificuldades nesta matéria [profissionais de saúde], sendo necessários nas diferentes carreiras, nomeadamente médicos, enfermeiros e assistentes técnicos e operacionais cerca de 4 700 profissionais", afirmou António Lacerda Sales no final da cerimónia de entrega da Bolsa D. Manuel de Mello, no Porto.

Destes 4 700 profissionais de saúde necessários, o governante especificou que 2 500 são enfermeiros, 600 médicos e, os restantes, assistentes operacionais e técnicos.

Lembrando a existência de diferentes mecanismos legais de contração, o secretário de Estado sublinhou já terem sido dadas orientações nesse sentido, estando já as administrações regionais de saúde "no terreno" para essas mesmas contratações. "Não será por falta de profissionais que haverá qualquer restrição ao processo de vacinação", reforçou.

Lacerda Sales acrescentou ainda que "tudo aquilo" que a `task force´ necessitar em termos de recursos humanos o Governo dará suporte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG