Gouveia e Melo: "120 mil neste dia supera em muito as expectativas"

Gouveia e Melo era um homem feliz no primeiro dia da vacinação dos mais novos (12 aos 15 anos), que ultrapassou os agendamentos para os dois dias do fim de semana

Os residentes em Portugal com idades entre os 12 e os 15 anos representam quase 410 mil. Para muitos deles, este sábado foi o primeiro dia do resto das suas vidas na proteção contra o SARS-CoV-2, pois mais de 29 % levaram a primeira dose da vacina. Muitos milhares responderam ao apelo das autoridades e dos especialistas para se vacinarem, o que emocionou pelo menos um militar: o vice-almirante Gouveia e Melo. No final, disse ao DN: "Este dia supera em muito as expectativas, uma vez que estavam agendados, para todo o fim de semana, cerca de 110 mil, e a previsão é que se ultrapasse os 120 mil no primeiro dia."
Marcaram a vacina para este fim de semana 110 mil pessoas com idades entre os 12 e os 15 anos, muitos outros foram chamados para agendar , a que se juntaram os que apareceram através da modalidade "casa aberta". Esta funciona segundo o horário de cada centro de vacinação e mediante uma senha (retirada via internet ou no local).

409.873 entre os 12 e 15 anos


O Instituto Nacional de Estatística estima que residam 409.873 pessoas entre os 12 e os 15 anos de idade no país. O coordenador da task force acompanhou o processo visitando muitos dos Centros de Vacinação Covid (CVC) e constatou que não se confirmava um dos seus receios: o de que muito jovens faltassem dado estarmos em agosto, mês de férias por excelência.
"Não estava à espera. Já visitei muitos pavilhões, mas julgo que os problemas recentes fizeram com que os pais também tomassem mais consciência deste processo. Acho que estes aplausos foram mais para me animar e eu agradeço imenso e fico comovido", disse Gouveia e Melo quando visitou o Centro de Vacinação de Alcabideche, em Cascais.
Uma referência à forma como foi recebido, num ambiente completamente diferente ao que viveu há uma semana em Odivelas, quando um grupo de manifestantes antivacinação insultou o coordenador da task force, empunhando cartazes e gritando : "Assassino." Neste sábado, na visita ao Centro de Vacinação de Alcabideche, foi bem diferente. Chegou ao fim da manhã a um pavilhão repleto de jovens acompanhados pelos pais e foi recebido com aplausos.
Lá dentro, Maria Santos, 13 anos, não conseguia esconder a ansiedade. "Estou um bocado nervosa, mas confiante", confessou à agência Lusa. A mãe, Ana Cardoso, sublinhava que este processo é essencial. "Vamos criar segurança para a vacinação e proteger as nossas crianças, agora que as aulas vão iniciar-se, em setembro. Este é um passo importante."
Já no período de recobro de 30 minutos após a vacina, Afonso Pereira, 14 anos, estava satisfeito. "Pensei que ia doer mais, mas não doeu. Quase não senti. Cada vez mais queremos voltar a socializar e a vacina é muito importante. Vinha com uma ótima expectativa e correu bem". Segundo a mãe, Vânia Andrade, o rapaz nem precisou de ser convencido. E concorda: "Acho que é uma proteção para eles e para nós. Dúvidas todos nós temos, mas eu guio-me por aquilo que os médicos dizem, e por isso sempre estive tranquila."
Jovens que encheram de orgulho Gouveia e Melo. "Este é o quarto centro de vacinação em que passo, e estão cheios. As pessoas vêm em massa para a vacinação. O que é que eu posso dizer? Estou emocionado", repetiu.
Os jovens têm levado a primeira dose da Pfizer, estando a segunda marcada para 11 e 12 de setembro. Os que não conseguirem vacinar-se neste fim de semana, podem fazê-lo no próximos dias 28 e 29 de agosto. O autoagendamento para essas datas decorre até sábado e abrange também a faixa dos 16 e 17 anos. O objetivo é concluir o processo de vacinação dos jovens até ao dia 19 de setembro, perto do início do ano letivo, quando serão inoculadas as segundas doses do próximo "turno".
Até esta sexta-feira estava totalmente vacinada 70,6 % da população portuguesa, o que levou o governo a antecipar algumas das medidas de desconfinamento.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG