Francisco George condecorado na despedida e vai dar nome a prémio

Diretor-geral da Saúde despediu-se hoje das suas funções na administração pública. Última aula contou com antigos ministros da saúde

Francisco George comemora amanhã 70 anos, a idade limite para permanecer na função pública. Hoje, despediu-se das suas funções numa última intervenção na reitoria da Universidade Nova de Lisboa. Na despedida foi anunciada a condecoração da Grã-Cruz da Ordem de Mérito. Foi também anunciada a criação de um prémio para investigações de jovens cientistas na área da Saúde Pública.

Familiares, amigos e antigos governantes (muitos deles reúnem as três categorias) encheram o auditório da reitoria da Universidade Nova de Lisboa onde o ainda diretor-geral da Saúde fez a sua última intervenção pública. Por entre elogios, o seu amigo, colega de escola primária e agora Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa anunciou - num discurso que foi lido, já que o Presidente cancelou a agenda oficial para visitar as regiões mais afetadas pelos incêndios - a sua condecoração. Distinção devida "pelo seu espírito de serviço público" e que "há muito era devida".

No final da cerimónia foi ainda anunciada a criação de um prémio para investigação em Saúde Pública, com o nome de Francisco George e um prémio de cinco mil euros.

Na cerimónia estiveram presentes os antigos ministros da Saúde Maria de Belém, Correia de Campos, Ana Jorge, Paulo Macedo, o atual ministro Adalberto Campos Fernandes, o presidente da Assembleia da República Ferro Rodrigues, os conselheiros de Estado Marques Mendes e Leonor Beleza e a ex-primeira dama Manuela Eanes.

Depois de 12 anos como diretor-geral da Saúde, Francisco George candidatou-se agora à presidência da Cruz Vermelha Portuguesa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG