Falhar refeições na escola vai dar queixa contra pais

Esta é uma das medidas para acabar com desperdício alimentar

Se o seu filho é daqueles que encomenda refeições na escola e, depois, repetidamente, não as consume, o estabelecimento de ensino poderá fazer queixa à Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ), avança hoje em manchete o Jornal de Notícias. Segundo esta publicação, as escolas estão a enviar aos pais um documento que os informa desta possibilidade, como forma de acabar com o desperdício alimentar.

De acordo com a mesma fonte, que contactou várias CPCJ, nenhuma queixa foi feita neste sentido. O normal é haver queixas do contrário: de crianças que estão a receber apoio escolar devido à carência financeira da família.

Segundo o Ministério da Educação, citado pelo Jornal de Notícias, entre as refeições encomendadas e as consumidas existe uma diferença que oscila entre os 2% e os 3% e sempre que essa diferença é superior a 5%, o sistema de registo exige uma justificação.

A Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares havia recomendado aos estabelecimentos a cobrança do valor real da refeição não consumida, em caso de reincidência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG