Explorar a fossa das Marianas em direto agora é para todos

Acompanhe os cientistas do NOAA até aos lugares mais misteriosos das profundezas do Oceano Pacífico

Explorar a fossa das Marianas, o lugar mais profundo do planeta Terra, já não é só para um grupo muito pequeno de cientistas (e o realizador de Titanic, James Cameron). Graças à norte-americana NOAA (Administração Nacional dos Oceanos e da Atmosfera), agora qualquer pessoa pode acompanhar em direto a exploração das profundezas dos oceanos, com as explicações bem-humoradas dos cientistas que, a partir do navio Okeanos Explorer, varrem o fundo do oceano Pacífico, perto das Filipinas.

É muito difícil chegar ao fundo das fossas das Marianas, mesmo com equipamento muito poderoso, devido à enorme pressão que se verifica a 11 quilómetros debaixo de água. Mas os veículos automatizados controlados a partir do Okeanos Explorer varrem uma zona menos profunda, a cerca de 3680 metros de profundidade, desde o dia 20 de abril.

Enquanto trabalham, as imagens de três câmaras são transmitidas em direto para o YouTube e para o site do NOAA, narradas por investigadores que só se identificam pelos primeiros nomes e que conversam casualmente, entre a base de operações em terra e aqueles que se encontram a bordo do Okeanos.

Acompanhados por cientistas como a brincalhona Kelley que identifica a sua tarefa na expedição como: "Eu só aponto e peço para fazerem zoom nas coisas", os internautas podem agora acompanhar em direto a descoberta do mundo subaquático nas profundezas do oceano, à medida que se descobrem tipos diferentes de esponjas e outros seres, e se cartografa a geologia destas terras desconhecidas. Milhares têm sido cativados por estas transmissões.

A missão do Okeanos Explorer na fossa das Marianas vai continuar até dia 10 de julho. Ainda vai a tempo de experimentar acompanhar um mergulho em direto.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG