EUA admitem reduzir de 2 para 1 metro distância sanitária nas escolas

As autoridades norte-americanas ponderam reduzir de dois para um metro a distância social recomendada para limitar a propagação de covid-19, o que tornaria mais fácil reabrir escolas, explicou o imunologista e assessor da Casa da Branca, Anthony Fauci.

As autoridades sanitárias estão a analisar a redução da distância sanitária nas escolas e em breve fará recomendações. Isso mesmo foi garantido pelo médico e assesor da Casa Branca, Anthony Fauci. "Posso garantir que dentro de um prazo razoável serão feitas recomendações de acordo com os dados de que dispomos", disse Fauci à CNN, acrescentando que a questão surge porque "temos tomado conhecimento dos dados recolhidos, que parecem cada vez mais indicar que tal distância é suficiente em certas condições".

O "Beth Israel Deaconess Medical Center" da Universidade de Harvard divulgou, na quinta-feira, um estudo realizado em 251 escolas em Massachusetts (nordeste dos Estados Unidos) que compara distâncias mínimas de um metro para outras de dois metros.

De acordo com as conclusões do estudo, não existe diferença significativa no número de casos registados nas duas distâncias, desde que seja respeitado o uso da máscara pelos alunos.

"O obstáculo mais importante para uma reabertura total das escolas é a obrigatoriedade de distância de dois metros, porque não temos o espaço, nem o pessoal necessário para trazer todos os alunos [para a escola] cinco dias por semana", confidenciaram Thomas Putnam e Mark Elledge, funcionários académicos do Estado de Nova Iorque, em carta enviada em fevereiro às autoridades locais.

Um ano após o encerramento, a reabertura de escolas varia muito entre os diferentes Estados norte-americanos, bem como entre escolas públicas, privadas e religiosas.

Em Nova Iorque, o maior distrito escolar do país, as escolas começaram a reabrir gradualmente em dezembro. No Texas, as autoridades estaduais deram orientações às escolas para a instrução presencial.

Os Centros de Controlo e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), a principal Agência Federal de Saúde, estão a pressionar para que haja o retomar das aulas para 55 milhões de alunos do ensino público, alegando ainda que não deveriam estar os professores condicionados pela vacinação.

Quase 69 milhões de norte-americanos já receberam uma dose ou mais da vacina contra a covid-19, ou seja 26,6% da população adulta.

A pandemia de covid-19 provocou, pelo menos, 2.649.334 mortos no mundo, resultantes de mais de 119,4 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG