Empresário condenado a pagar 4 milhões ao Estado por fraude fiscal

O arguido vai recorrer da sentença e nega a prática de fraude fiscal

O empresário José Veloso Azevedo foi condenado pelo Tribunal de Braga a dois anos e seis meses de prisão por fraude fiscal, com pena suspensa na condição de pagar 3,7 milhões de euros ao Estado com juros (o que equivale a cerca de 4 milhões de euros), segundo avança o Jornal de Notícias.

De acordo com este jornal, o milionário de Braga é acusado de evasão fiscal por não pagar juros ao Estado de dinheiro que depositava numa conta offshore do Banco Português de Negócios (BPN) nas ilhas Caimão.

O arguido vai recorrer da decisão do tribunal negando o crime, pois afirma que nunca abriu contas nas ilhas Caimão pelo BPN e só se apercebeu que o dinheiro tinha ido parar a um paraíso fiscal quando em 2009 recebeu uma carta para confirmar as suas contas offshore.

A sentença do juiz do Tribunal de Braga deu como provada a intenção do empresário da prática de fraude fiscal e sublinha que o arguido tem património de mais de cem milhões de euros.

A defesa insiste que deve ser o BPN a assumir o pagamento dos juros ao Estado sendo que é o "responsável pela omissão". José Veloso afirmou que a Autoridade Tributária já tinha investigado o caso e "nada de ilegal foi encontrado".

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG