Empresa vai recolher medicamento de uso hospitalar que pode ter fibras de vidro

O Infarmed explica que a recolha voluntária, que abrange dois lotes do medicamento com validade até 2023, se deve à possibilidade de existirem partículas/fibras de vidro visíveis.

O Infarmed informou esta sexta-feira que a empresa Kyowa Kirin Farmacêutica vai recolher voluntariamente lotes de um medicamento usado para prevenir náuseas ou vómitos após uma cirurgia devido à possibilidade de conter partículas/fibras de vidro visíveis.

Trata-se de alguns lotes do medicamento Xomolix, Droperidol, 2,5 mg/ml, solução injetável, 10 ampolas de 1 ml, usado também quando se recebe analgésicos à base de morfina após uma cirurgia.

O Infarmed explica que a recolha voluntária, que abrange dois lotes do medicamento com validade até 2023, se deve à possibilidade de existirem partículas/fibras de vidro visíveis.

Além de determinar a suspensão imediata da comercialização dos lotes em causa, a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde informa que as entidades que possuam estes lotes de medicamento em 'stock' não os podem vender, dispensar ou administrar e devem proceder à sua devolução.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG