Deram a volta ao Estádio da Luz para doar alimentos

Benfiquistas deram comida ao Banco Alimentar Contra a Fome e fizeram uma foto com as taças ganhas pelo clube

"Quem é que gosta mais do Benfica? Eu acho que é o Martim", diz a mãe Dinora, olhando para o filho de quatro anos. Vieram de carro, "a ouvir músicas do Benfica", contou Martim, para entregar massas e enlatados ao Banco Alimentar Contra a Fome e, claro, fazer a foto de família com as três taças que o clube conquistou na época futebolística.

Tal como eles, muitas dezenas de benfiquistas responderam ao apelo do treinador Rui Vitória: solidariedade em troca de uma foto com os troféus, em resposta ao desafio deixado pela presidente do Banco Alimentar Contra a Fome, Isabel Jonet, que lamentou que a final da Taça de Portugal, no fim de semana passado, tivesse desviado voluntários.

A fila de adeptos dava a volta quase completa ao estádio e a iniciativa que devia terminar às 20.00 estendeu-se sem hora marcada até que a última pessoa que entrasse na fila até às 20.00 fizesse a foto. Muitos não aguentaram e deixaram os alimentos diretamente na carrinha do Banco Alimentar que estava junto à estatua de Eusébio. "Já esperávamos uma resposta muito positiva, mas excedeu as expectativas", disse ao DN Nuno Costa, da Fundação Benfica, entidade responsável pela organização. No relvado estava apenas uma amostra do muito que já tinham recebido. O presidente da Fundação, Carlos Móia, frisou à TSF que o objetivo seria a recolha de cinco toneladas. Peso final só amanhã.

Martim, Dinora e Pedro (o pai) não tiveram de esperar muito graças a Simão, o mais pequeno da família com quatro meses, para deixar o contributo e fazer a foto de família. "É este o espírito benfiquista. Trouxemos enlatados, massas", disse Dinora. Pedro acrescentou: "E 211 iogurtes. Tenho a aplicação Danone que dá pontos que posso reverter". Também valeu muito pelas três taças. Martim aproveitou para exibir a sua camisola 4, o número usado pelo seu jogador preferido Luisão.

Já a preferência de Daniel, 12 anos, vai para Pizzi, com quem já entrou de mão dada em campo, e Jonas. Antes da foto deixaram o saco com bolachas, leite, massa e atum. Esperaram três horas para descer ao relvados. Foi por ele que a família veio. "É um grande fanático do clube", diz a mãe Lúcia. O entusiasmo estava à vista, em contraste com a irmã que chorou na foto.

Maria e José Teixeira contribuíram para o banco alimentar duas vezes. Ontem foi a segunda. "Trouxemos arroz, massa, conservas, um pouco de tudo", disse José. Saíram de Almada às 13.20 e fizeram a foto de honra às 17.45. "Compramos casa em Almada porque ele queria ficar mais perto do Benfica", contou a mulher. Dividem o ano entre Portugal e França. A foto vão mostrar ao neto Ilhan, de sete anos, "que é tolinho pelo Benfica", disse Maria. Já lhe ofereceram uma semana de treinos no clube que ele vai gozar em breve.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG