Exclusivo Denúncia de agressões era calúnia para o SEF

Há cinco anos, uma investigadora da Universidade de Coimbra recebeu queixas de agressões contra um detido no CIT do SEF, no Porto. Fez a denúncia à direção daquela polícia, que reagiu desabridamente. Mas, no inquérito instaurado, foram ali detetadas irregularidades que em 2020 voltariam a ser encontradas em Lisboa, onde morreu Ihor Homemiuk.

Em 2015, uma académica visitou um dos centros de detenção do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), o Centro de Instalação Temporária (CIT) do Porto, no âmbito de uma investigação para Agência para a Prevenção do Trauma e da Defesa dos Direitos Humanos, da Universidade de Coimbra.

Na entrevista que fez a detidos no centro, estrangeiros que aguardam decisão sobre pedido de asilo ou o repatriamento por lhes ter sido interdita a a entrada no país, recebeu denúncias de agressões a um dos detidos e de várias irregularidades.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG