Crianças sem agendamento podem vacinar-se esta tarde

Lacerda Sales colocou ainda de parte a realização de vacinações nos fins de semana do Natal e Ano Novo, para que os profissionais de saúde possam estar com as suas famílias.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde anunciou esta manhã que os pais de crianças de 9, 10 e 11 anos que não realizaram o autoagendamento para vacinar os seus filhos este fim de semana contra a covid-19 podem dirigir-se sem marcação a qualquer centro de vacinação esta tarde para que as crianças sejam imunizadas.

A novidade foi dada por António Lacerda Sales durante a visita ao centro de vacinação instalado no Pavilhão Multiusos de Gondomar, um dos locais onde este fim de semana se está a realizar a vacinação contra a covid-19 de crianças de 9, 10 e 11 anos.

Questionado sobre a adesão à vacinação de hoje, na ordem dos 77 mil autoagendamentos, António Lacerda Sales afirmou que a "confiança é um capital que se constrói ao longo do tempo" e que à medida que o processo vai decorrendo acredita que se vão vacinar as crianças todas.

"Ninguém ficará para trás", afirmou.

O governante recordou que para outras faixas de idade estão, ou vão ser, publicitadas outras datas, mas explicou que sempre que houver necessidade de vacinar crianças dos 9 aos 11 anos haverá espaço para as vacinar, desde que não se misturem crianças com adultos.

Sobre os adultos com mais de 70 anos, há 410 mil que ainda não tomaram a terceira dose. Questionado pelos jornalistas se esse facto não iria atrasar o processo de vacinação das crianças, António Lacerda disse esperar que não.

"Todo este plano foi muito bem elaborado, quer do ponto de vista estratégico, quer do ponto de vista da logística, quer de implementação. Temos uma faixa com mais de 80 anos, com mais de 80% desta faixa vacinada, de 70 para os 79 anos, com mais de 70% e a aproximar-se muito dos 80%, e a própria faixa acima dos 65 anos já começa a estar muito perto também dos 80% vacinada", disse.

Segundo Lacerda Sales, Portugal deve "estar muito orgulhoso" por poder dizer que tem "2,3 milhões de doses de reforço [dadas], tal como também temos 2,3 milhões de doses de vacina de gripe".

Lacerda Sales colocou ainda de parte a realização de vacinações nos fins de semana do Natal e do Ano Novo, dizendo que face ao nível de vacinação em Portugal, tanto contra a covid-19 como contra a gripe, há que ter em consideração e respeito o desejo dos profissionais de saúde querem passar estas datas junto das suas famílias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG