CP alerta para "fortes perturbações" na operação devido a greve da IP na 3.ª e na 5.ª feira

Em causa está a greve dos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal. A CP informa que "será permitido o reembolso, no valor total do bilhete adquirido", aos clientes que vão viajar "em comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Interregional e Regional".

A CP - Comboios de Portugal alertou esta segunda-feira para "fortes perturbações na circulação de comboios em todos os serviços" e em todo o país na terça e na quinta-feira devido à greve dos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP).

Em comunicado, a operadora referiu que "por motivo de greve convocada por uma organização sindical da IP-Infraestruturas de Portugal, preveem-se fortes perturbações na circulação de comboios em todos os serviços, a nível nacional, nos dias 12 e 14 de julho de 2022".

De acordo com a CP, "para ambos os dias, está prevista a realização de serviços mínimos, cuja lista se encontra disponível em cp.pt, podendo ser realizados comboios adicionais".

Assim, "aos clientes que já tenham adquirido bilhete para viajar em comboios dos serviços Alfa Pendular, Intercidades, Interregional e Regional, será permitido o reembolso, no valor total do bilhete adquirido, ou a sua revalidação gratuita, para outro comboio da mesma categoria e na mesma classe", indicou.

A IP já tinha hoje alertado para os efeitos da paralisação.

"No seguimento do aviso prévio de greve apresentado pela Aprofer - Associação Sindical dos Profissionais do Comando e Controlo Ferroviário, para o período compreendido entre as 00:00 e as 24:00 do dia 12 de julho [terça-feira] e o período compreendido entre as 00:00 e as 24:00 do dia 14 de julho [quinta-feira], informamos que poderão verificar-se perturbações na circulação ferroviária", lê-se num aviso disponibilizado hoje ao final da manhã no 'site' da empresa.

Segundo acrescenta, "neste período, a Infraestruturas de Portugal garantirá a abertura de 30% do seu canal ferroviário para o serviço Urbanos - Lisboa e Porto e 25% para as restantes circulações, nos termos dos serviços mínimos acordados com a referida associação sindical".

Por sua vez, a Fertagus alertou também na sua página eletrónica que, "face à greve anunciada na IP - Infraestruturas de Portugal entre as 00:00 e as 24:00, nos dias 12 e 14 de julho de 2022, encontram-se previstas fortes perturbações na circulação de comboios da Fertagus".

Em declarações à agência Lusa, o presidente da Aprofer explicou que a greve abrange os perto de 300 trabalhadores do Comando e Controlo Ferroviário da IP, que regulam a pontualidade e a segurança de 100% das circulações ferroviárias e que estão concentrados nas estações de Braço de Prata, Contumil e Setúbal, ou seja, nos centros de comando operacionais (CCO) de Lisboa, do Porto e de Setúbal.

Conforme explicou Adriano Filipe, em greve estarão os supervisores de comando ferroviário e de permanência geral de infraestruturas ferroviárias, sendo que os efeitos da paralisação deverão fazer-se sentir já "a partir da parte noturna de hoje" e, também, na quarta-feira, "dia intermédio" entre as duas jornadas de greve.

À Lusa, o presidente da Aprofer explicou que na base da greve está a reivindicação de um sistema de formação profissional próprio para os centros de comando operacionais, de um sistema de avaliação e desempenho específico para estas funções e de uma atualização nas remunerações.

"E, se as coisas não se resolverem, vamos continuar com greves até que se resolvam", avisou o presidente da Aprofer.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG