Covid-19. Nova geração de vacina aprovada no Reino Unido

Esta versão da vacinada Moderna, a primeira no mundo, consiste numa dose de reforço, visando metade a variante original do vírus e metade a variante Ómicron. Os efeitos colaterais observados são tipicamente fracos e semelhantes aos observados para os soros originais.

Uma nova geração da vacina da farmacêutica Moderna contra a covid-19, visando a variante Ómicron, foi aprovada no Reino Unido, anunciou esta segunda-feira a entidade reguladora britânica para os medicamentos.

Esta versão da vacina, a primeira no mundo, consiste numa dose de reforço, visando metade a variante original do vírus e metade a variante Ómicron.

A nova versão "provoca uma forte resposta imunitária" contra ambas, incluindo as linhagens Ómicron BA.4 e BA.5, com "baixos efeitos colaterais" semelhantes aos observados com os soros originais, informou a Agência Reguladora de Medicamentos e Dispositivos Médicos (MHRA) em comunicado.

A MHRA aprovou a nova geração da vacina "para doses de reforço para adultos" por considerar que esta "atende aos padrões de segurança, qualidade e eficácia do regulador britânico".

Os efeitos colaterais observados são "tipicamente fracos e semelhantes aos observados para os soros originais", adiantou.

"O que esta vacina bivalente nos dá é uma ferramenta mais afinada para nos ajudar proteger contra esta doença à medida que o vírus continua a evoluir", disse a diretora da MHRA, June Raine, num comunicado.

O diretor-geral da Moderna, Stéphane Bancel, sublinhou, citado pela AFP, "o importante papel" que esta "nova geração" de vacina pode desempenhar na proteção contra a covid-19.

Na semana passada, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) disse que previa a aprovação, no outono, de uma vacina Pfizer/BioNTech contra a Covid visando as linhagens BA.4 e BA.5 da variante Ómicron, muito transmissível.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) alertou em julho que a pandemia está "longe de terminar", devido à disseminação de linhagens da Ómicron, ao levantamento das restrições sanitárias e à diminuição dos exames.

Os casos de covid-19 aumentaram globalmente no final da primavera e início do verão, impulsionados por variantes mais recentes e prevês que os casos voltem a aumentar no outono e no inverno.

O Reino Unido é um dos países mais afetados na Europa pela pandemia, com quase 180.000 mortes associadas à covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG