Comissão Europeia considera desnecessário uso generalizado de máscaras FFP2

Os dados científicos disponíveis de momento não apontam para a necessidade de um uso generalizado das máscaras FFP2, aconselhadas para os profissionais de saúde.

O Centro Europeu de Controlo de Doenças (ECDC) "não apoia o uso de máscaras de proteção FFP2" contra a covid-19 pelo grande público, com base nos dados científicos de que dispõe atualmente, revelou esta quarta-feira a Comissão Europeia.

Durante uma conferência de imprensa em Bruxelas, a comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, adiantou que o executivo comunitário abordou a questão com o ECDC, cujos especialistas consideram que os dados científicos disponíveis de momento não apontam para a necessidade de um uso generalizado das máscaras FFP2, aconselhadas para os profissionais de saúde.

Stella Kyriakides, que surgiu na conferência de imprensa na sede da Comissão Europeia precisamente com uma máscara FFP2, "por coincidência", sublinhou que o importante é "continuar a encorajar todas as pessoas a usarem máscara, a usarem-na corretamente, e a manter o distanciamento social".

"Mas, para já, o ECDC não apoia o uso de máscara FFP2 pela comunidade" em geral, reforçou.

À luz das novas variantes do SARS-CoV-2, potencialmente mais contagiosas, alguns Estados-membros da UE, como a Alemanha e a França, tornaram obrigatória a utilização de máscaras cirúrgicas ou FFP2 em locais como transportes públicos e lojas, proibindo as máscaras comunitárias, fabricadas de forma artesanal.

A pandemia de covid-19 fez, pelo menos, 2.253.813 mortos no mundo desde que a doença foi detetada em dezembro de 2019 na China, segundo o balanço da France Presse com base em dados oficiais até às 11:00 de hoje.

Desde o início da pandemia mais de 103.827.020 de infeções foram oficialmente diagnosticadas sendo que, desse total, 63.195.000 pessoas foram consideradas curadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG