Cientistas descobrem como Lucy morreu... há três milhões de anos

Antepassado remoto do Homem passava as noites nas árvores para evitar os predadores

Um grupo de investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, chegou à conclusão de que Lucy, o famoso australopiteco encontrado em 1974 pelo antropólogo americano Don Johnson, terá provavelmente morrido ao cair de uma árvore.

A equipa de cientistas estava a examinar os ossos do hominídeo para melhor delinear o seu estilo de vida, quando reparou num conjunto de fraturas (nos ombros, tornozelo direito, joelho esquerdo, pélvis e costelas) possivelmente resultantes de um trauma de que Lucy terá sido vítima ainda enquanto estava viva.

O fraco relevo da área em que o australopiteco foi encontrado e os seus hábitos (à semelhança dos chimpanzés, Lucy passava as noites nas árvores para evitar os predadores) indicam, portanto, que a sua morte terá sido causada por uma queda de uma árvore de cerca de 12 metros.

O estudo aos ossos deste exemplar da espécie primitiva de hominídeo (um dos antepassados mais remotos do Homem) foi publicado, esta segunda-feira, na Nature. Lucy viveu há mais de três milhões de anos, na Etiópia.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG