Cientistas criam contracetivo masculino em gel 

Gel foi um sucesso nos testes em animais e deverá ser testado em humanos nos próximos anos

Cientistas criaram um contracetivo masculino em gel que impede os espermatozoides de chegarem ao pénis. O vasalgel é suposto funcionar como uma vasectomia, mas ser mais facilmente reversível.

Os investigadores da Universidade da Califórnia e da Fundação Parsemus afirmaram que após dois anos de testes em macacos os resultados foram positivos, segundo um artigo científico publicado na Basic and Clinical Andrology, logo, o contracetivo pode ser considerado seguro para primatas.

Caso os testes em homens - que devem começar nos próximos anos - corram bem e os cientistas consigam o financiamento necessário, o Vasalgel vai ser o primeiro contracetivo masculino a chegar ao mercado em muitas décadas, como conta a BBC.

O Vasalgel é injetado, sob anestesia, e bloqueia o canal por onde os espermatozoides passam para chegar ao pénis. Nesse aspeto é igual a uma vasectomia - que corta o canal - mas promete ser mais facilmente reversível. Enquanto uma vasectomia é uma cirurgia, o Vasalgel pode, em teoria, ser aplicado e anulado apenas com injeções.

Os cientistas admitem que, apesar de terem confirmado que a aplicação do gel realmente corta a fertilidade do macaco, ainda não foram feitos testes para reverter o processo nos primatas. As experiências de reversão em coelhos tiveram sucesso.

O gel deve permitir que o homem decida quando quer ter filhos, quando as únicas opções no mercado ainda são o preservativo e a vasectomia. Tal como a vasectomia, o gel corta a passagem de espermatozoides mas não dos outros fluidos que constituem o sémen.

Para realizar os testes, os investigadores injetaram o gel em 16 macacos, 10 dos quais já tinham filhos. Os animais foram colocados depois com fêmeas e, apesar de terem acasalado, nenhuma das macacas engravidou. A duração do teste incluiu duas épocas de acasalamento dos macacos.

Os cientistas afirmam que, no entanto, alguns macacos tiveram efeitos secundários e um dos animais teve de desistir do projeto porque ficou com um dos canais danificados.

"Imagino que haja um mercado global para um novo contracetivo masculino, mas são necessários testes em humanos e mais dados a longo prazo antes de sabermos se vai ser um sucesso", disse à BBC Allan Pacey, professor de andrologia da Universidade de Sheffield.

Os investigadores e especialistas, como o médico Anatole Menon-Johanssonm, dizem acreditar que os homens estariam, de forma geral, dispostos a usar o Vasalgel, principalmente por ser facilmente reversível.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG