Casa Pia. Manuel Abrantes saiu em liberdade condicional

Antigo provedor-adjunto da Casa Pia foi libertado antes do previsto

Manuel Abrantes foi libertado esta sexta-feira, oito meses antes do previsto. O antigo provedor-adjunto da Casa Pia tinha sido condenado a cinco anos e nove meses de prisão por dois crimes de abuso sexual de menores.

A pena de Abrantes, detido no estabelecimento prisional da Carregueira, terminava em novembro.

Em 2015, após cumprir metade da pena, o antigo provedor-adjunto da Casa Pia pediu para sair em liberdade condicional. O pedido foi recusado na altura pelo Tribunal de Execução de Penas.

Em declarações aos jornalistas, à saída da prisão, Manuel Abrantes reiterou estar inocente e disse ter esperança que o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos se pronuncie a seu favor.

O antigo provedor-adjunto da Casa Pia voltou a afirmar que foi "linchado publicamente", considerando não ser "normal o que se passou no processo da Casa Pia".

"Tudo isto foi erro para não dizer uma fraude em alguns casos", disse ainda, segundo a Lusa.

Além de Manuel Abrantes, foram condenados no processo Casa Pia, Carlos Cruz, Carlos Silvino (15 anos de prisão), o antigo motorista da instituição, o médico Ferreira Dinis (sete anos de prisão) e Jorge Ritto (seis anos e oito meses)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG