Câmara de Gaia alerta para possibilidade de cheias do Douro

Marginal da Foz do Porto está cortada na parte pedonal devido à forte ondulação, sendo previsível que a circulação rodoviária na via D. Carlos seja encerrada durante a noite

A Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia alertou hoje para a "possibilidade de subida das águas do Douro até [ao] limite das estradas marginais", estando, neste momento, os níveis do rio estabilizados, segundo a autoridade marítima.

Numa nota publicada na sua página, a autarquia remeteu para o aviso da Autoridade Nacional de Proteção Civil que alertou para a possibilidade de "inundações rápidas em zonas historicamente vulneráveis, mais prováveis nas bacias dos rios Minho, Lima, Cávado, Ave, Vouga, Douro e Mondego".

Contactado pela Lusa, fonte do Centro de Previsão e Prevenção de Cheias referiu que o caudal da barragem de Crestuma já é elevado e que o Postigo do Carvão, nível de referência na ribeira do Porto, "já tem cerca de meio metro de água".

A mesma fonte assegurou que a tendência é que o rio se mantenha nos níveis atuais, mas referiu que haverá efeitos imprevisíveis a partir das 21:00 com o agravamento do volume de chuva.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) atualizou os alertas para o fim de semana e colocou sete distritos em aviso laranja hoje por causa das chuvas fortes e da agitação marítima. De acordo com a informação disponibilizada pelo IPMA, os distritos do Porto, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Aveiro, Coimbra e Braga estão sob aviso laranja.

Parte pedonal da marginal da Foz do Porto cortada

A marginal da Foz do Porto está cortada na parte pedonal devido à forte ondulação, sendo previsível que a circulação rodoviária na via D. Carlos seja encerrada durante a noite, indicou fonte da Polícia Municipal.

"Neste momento [cerca das 20:40] só há corte na parte pedonal e estão a ser feitos alertas às pessoas por causa da agitação marítima. Durante a noite a circulação rodoviária da D. Carlos I poderá ter de ser cortada", disse à agência Lusa o comandante da Polícia Municipal do Porto, António Leitão da Silva.

No 'site' da câmara do Porto lê-se que a Proteção Civil Municipal está a "acompanhar o agravamento do estado do tempo na cidade".

Na mesma nota a autarquia refere que "os cálculos das autoridades apontam para ondulação de noroeste com cinco a sete metros, podendo atingir 10 a 12 metros de altura máxima".

O Porto está hoje sob 'Alerta Laranja', o segundo mais grave de uma escala de quatro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG