Black Friday chega ao turismo e fica até domingo

A febre da Sexta-Feira Negra instalou-se em Portugal, com promessas de grandes promoções e à espreita das prendas de Natal. Não há negócio que não adira a estas promoções

Hotéis reservados para hoje podem ficar mais baratos entre 20% e 40%, o que também depende do número de noites agendadas. E há quem estique a promoção do Black Friday até domingo e inclua mesmo toda a semana.

Não são só as unidades hoteleiras que aproveitam a Sexta-Feira Negra para atrair clientes, também as agência de viagens, as companhias aéreas e as empresas de aluguer de automóveis. Quem sabe para viajar até Nova Iorque, onde tudo isto começou. E se assim for, ainda há a segunda-feira, a Cyber Monday, um reforço das promoções para compras online.

Primeiro foram as grandes superfícies, depois as vendas online, alargando-se o dia, anunciado como de grandes poupanças, ao comércio tradicional. E também se diversificaram os produtos e serviços. A lista de possíveis boas compras vai muito além dos eletrodomésticos, da informática, da roupa e dos sapatos, como tratamentos de beleza, espetáculos, e até os bancos não resistirem a utilizar este dia para anunciar produtos mais baratos. Nem escapam os sites que habitualmente fazem descontos, aumentando as percentagens de redução.

Recentemente, foi o setor do turismo a aderir à moda promocional norte-americana, não só as cadeias hoteleiras mas também as pequenas unidades. Não é uma surpresa para quem trabalha na área, onde todos os motivos são bons para as campanhas promocionais, justificam. Preços mais baratos para quem reserve alojamentos amanhã e que até podem servir para as férias de verão. Também para quem quiser oferecer um voucher para utilizar nos hotéis da cadeia.

"O Black Friday é imparável, uma onda, e é óbvio que o nosso setor também adere, como também já se promove em outras épocas e comemorações do ano. É uma ação comercial e os nossos empresários aproveitam", explicou ao DN o responsável pelo departamento de comunicação da Associação de Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal, Paulo Esteves.

Os últimos dados disponíveis, relativos a setembro, indicam uma taxa de ocupação hoteleira de 86,8%. Não só aumentou este indicador como também o preço médio praticado por quarto ocupado: 87,86 euros. E para os próximos anos não se espera um abrandamento do crescimento.

Também as agências de viagens organizaram pacotes para as compras de hoje, como as empresas que vendem os chamados "pacotes de experiências". Oportunidades de faturar a que nem as companhias aéreas escapam, sobretudo as low-cost, nem que seja para dar outro nome às campanhas que costumam apresentar.

É que, alerta a associação de consumidores Deco, algumas vezes esta sexta-feira é só uma mensagem publicitária e, no fim das contas, as compras não são assim tão compensatórias. Faz agora um ano que os técnicos da associação analisaram 1862 produtos à venda online, antes e depois da Black Friday, concluindo que algumas lojas subiram o preço dos produtos em média 10% para ampliarem os valores da promoção. "Aumentaram os preços para dar a impressão de que, no dia, estavam a fazer boas ofertas", denuncia a Deco, dando dicas sobre o que o consumidor deve fazer para não se deixar enganar (caixa).

A Black Friday foi inventada pelos norte-americanos, nos anos 90 do século passado, a primeira sexta-feira logo após o feriado do Dia de Ação de Graças, e que constitui uma das suas festas mais tradicionais e importante. Razão pela qual uma das primeiras cadeias a trazer o conceito para Portugal, o El Corte Inglés, começou por chamar Sexta-Feira Negra à primeira depois Natal, aqui até com o pretexto da troca de prendas. Manteve a data, embora sem dispensar este dia para fazer outras campanhas promocionais, mas neste ano rendeu-se. É que para o negócio da compra e venda faz mais sentido as promoções serem no mês anterior ao Natal, já que este dia marca o início da corrida às lojas para os presentes natalícios.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG