31 reclusos da cadeia de Alcoentre testaram positivo

De acordo com a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) é "a única situação de surto existente no sistema prisional".

Lusa
© Junta de Freguesia de Alcoentre

Trinta e um reclusos do Estabelecimento Prisional de Alcoentre estão infetados com o coronavírus SARS-CoV-2, tendo o primeiro caso sido detetado em 25 de novembro, informou esta segunda-feira a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

Segundo adianta a DGRSP, a situação vivida no Estabelecimento Prisional de Alcoentre constitui "a única situação de surto existente no sistema prisional".

A DGRSP esclarece que, seguindo o definido no seu plano de contingência, em 25 de novembro foram testados todos os reclusos do EP de Alcoentre, após se ter detetado um caso positivo de infeção com SARS-CoV-2, o coronavírus que provoca a doença covid-19.

"Desta testagem geral resultou mais 21 reclusos positivos o que perfez, num primeiro momento, um total de 22. Destes 22 casos positivos, 10 estão no Hospital Prisional de são João de Deus e 12 na unidade de Covid do Estabelecimento Prisional do Porto", precisa a DGRSP.

Entretanto, acrescenta a DGRSP, na sequência do plano de contigência e de acompanhamento constante da situação no EP de Alcoentre foi possível detetar, no último fim de semana, a existência de mais nove casos positivos, o que elevou para 31 os casos positivos naquela prisão.

"Estes reclusos positivos, seguindo o delineado no plano de contingência, estão a ser encaminhados para as unidades covid existentes no Hospital Prisional de São João de Deus e no Estabelecimento Prisional do Porto", sublinha a DGRSP.