Agência Europeia do Medicamento aprova administração da vacina Moderna em jovens acima dos 12 anos

Estudo feito pela EMA demonstrou que a "vacina produz uma resposta de anticorpos contra a SARS-CoV-2 nos jovens, comparável à observada em adultos dos 18 aos 25 anos de idade".

A Agência Europeia do Medicamento aprovou esta sexta-feira a administração da vacina Spikevax (Moderna) contra a COVID-19 em crianças e jovens entre os 12 e os 17 anos. A vacina já tinha sido autorizada para pessoas acima dos 18 anos de idade.

O processo de utilização da vacina em crianças será o mesmo relativamente aos adultos, com duas doses da vacina e quatro semanas de intervalo.

Os efeitos da Moderna foram investigados num estudo que envolveu cerca de 3.732 crianças dos 12 aos 17 anos. "O estudo demonstrou que a vacina produz uma resposta de anticorpos contra a SARS-CoV-2 nos jovens, comparável à observada em adultos dos 18 aos 25 anos de idade", diz a EMA.

Os efeitos secundários mais comuns nas crianças durante a investigação incluiram: dores e inchaço no local da injecção, cansaço, dores de cabeça, dores musculares e articulares, gânglios linfáticos aumentados, calafrios, náuseas, vómitos e febre. Estes efeitos foram geralmente suaves ou moderados e melhoraram dentro de poucos dias após a vacinação.

Em conformidade com a vacina da Spikevax (Moderna), também a Pfizer/BioNTech demonstrou eficácia em crianças entre os 12 e os 15 anos, numa investigação feita nos Estados Unidos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG