Internados sobem em dia com 499 novos casos e sete mortes

O boletim epidemiológico diário da Direção-geral da Saúde (DGS), deste domingo, revela ainda que há 334 internados, dos quais 55 em cuidados intensivos.

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 499 novos casos de infeção por SARS CoV-2 e mais sete mortes. De acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, deste domingo, dia 10, há 334 doentes com covid-19 internados, mais 13 do que ontem, e o mesmo número de internados em unidades de cuidados intensivos, 55.

O país soma agora 1 075312 infetados com o novo coronavírus e 18 041 óbitos, desde o início da pandemia. neste boletim da DGS há a registar mais 171 casos ativos, havendo agora 30 155, e mais 87 contactos em vigilância do que no dia anterior, 23 518. O total de recuperados da doença é neste momento de 1 027 116.

Nas últimas 24 horas, há a registar óbitos em todas as Administrações Regionais de Saúde do continente, duas em Lisboa e Vale do Tejo, uma no Norte, uma no Centro, uma no Alentejo e uma no Algarve. Madeira e Açores não registam óbitos, mas casos sim - 72 na Madeira e 43 nos Açores.

A incidência no país mantém-se nos 86,5 casos por 100 mil habitantes e o R (t) em 0,92.

Balanço no Mundo

No mundo, e segundo um balanço da Agência France Press feito diariamente após a comunicação das autoridades de saúde de cada país, foram registados desde o início da pandemia 237.462.210 casos de infeção e, pelo menos, 4.843.739 mortes.

Mas a Organização Mundial da Saúde (OMS) já admitiu, e tendo em conta o aumento da mortalidade direta ou indiretamente relacionada com a covid-19, que o balanço real da pandemia poderá ser duas a três vezes mais elevado do que o oficialmente registado.

Uma boa parte dos casos menos graves ou assintomáticos mantém-se, assim, por detetar, apesar da intensificação da testagem em muitos países.

Os países que registaram o maior número de mortes nos seus últimos balanços foram os Estados Unidos, com mais 2508 mortos, a Rússia, com 936, e o México, com 514.

Os Estados Unidos são o país mais atingido pela pandemia, tanto em número de mortos como de novos casos, com 712 974 mortes em 44 317 553 casos registados, segundo dados da universidade Johns Hopkins.

A seguir aos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 600 829 mortos e 21 567 181 casos, a Índia, com 450 589 mortos e 33 953 475 casos, o México, com 281 958 mortos e 3 720 545 casos, e a Rússia, com 216 415 mortos e 7 775 365 casos.

Entre os países mais duramente atingidos, o Peru é aquele com o maior número de mortos em relação à sua população, com 605 mortes por cada 100.000 habitantes, seguido da Bósnia (331), da Macedónia do Norte (327), do Montenegro (316), da Hungria (313) e da Bulgária (311).

A América Latina e as Caraíbas totalizavam hoje, às 11:00 em Lisboa (10:00 TMG), 1 501 440 mortos em 45 305 305 casos, a Europa 1 333 630 mortos (69 413 306 casos), a Ásia 849 982 mortos (54 643 014 casos), os Estados Unidos e o Canadá 741 160 mortos (45 972 930 casos), a África 213 024 mortos (8 362 975 casos), o Médio Oriente 202 156 mortos (13 561 466 casos) e a Oceânia 2347 mortos (203 220 casos).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG