Vice do Instituto de Emprego investigado pelo Ministério Público

Segundo o jornal Público, o Estado fez "pelo menos dez contratos" com a consultora de Paulo Feliciano no valor total de 360 mil euros

O Ministério Público está a investigar contratos estabelecidos entre a Agência Nacional para a Qualificação e Ensino Profissional (ANQEP) e a empresa de consultadoria Quaternaire, noticia esta segunda-feira o jornal Público.

Em causa está o facto de Paulo Feliciano ter sido vice-presidente da ANQEP função que acumulou com a de coordenador da consultora, numa altura em que as duas entidades celebraram "pelo menos dez contratos" a favor da consultora "no valor de cerca de 360 mil euros".

Ao jornal Público, a Procuradoria-Geral da República assumiu que o Ministério Público abriu um inquérito à relação entre as duas entidades que está a ser investigada pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa. Nesse âmbito foram efetuadas buscas na sede da ANQEP em abril de 2015.

Os contratos celebrados pela Quaternaire foram adjudicados por várias entidades públicas entre 2011 e 2016, visando a realização de estudos em áreas em que o socialista Paulo Feliciano, atualmente vice-presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), foi responsável quando era dirigente público na ANQEP e os quais eram do âmbito da sua competência na Quaternaire, onde atualmente se encontra com licença sem vencimento por ter sido nomeado para o IEFP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG