União das Mutualidades quer criar Estatuto do Cuidador Informal

Proposta pretende conceder "proteções legais" aos muitos cuidadores informais existentes.

O presidente da União das Mutualidades Portuguesas (UMP) mostrou-se esta quinta-feira disponível para apoiar o Governo na criação do Estatuto do Cuidador Informal.

Em comunicado à Lusa, Luís Alberto Silva afirmou que "Portugal é o país com menor taxa de prestação de cuidados domiciliários, sendo que os cuidados acabam por ser prestados por alguém que reside com o doente em situação de dependência... sem remuneração."

Portugal é o país com menor taxa de prestação de cuidados domiciliários

Neste sentido, o presidente da associação considerou de extrema importância que os cuidadores vejam "garantidas condições, nomeadamente ao nível da flexibilização laboral e em questões fiscais" e que para isto se deve "validar e reconhecer legalmente o papel do cuidador informal".

Reconhecendo a "urgência e importância de ver esta questão resolvida", Luís Alberto mostrou-se disponível para cooperar com o Governo e com os seus parceiros, de forma a criar um grupo de trabalho para a criação deste estatuto.

Tendo em conta o conhecimento que as instituições mutualistas tem do terreno, a UMP considera-se uma mais-valia para a elaboração deste estatuto.

De relembrar que o Governo já se mostrou disponível para criar o Estatuto do Cuidador Informal, até ao final de ano, trabalho que deverá ser feito em parceria com Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, o Ministério da Saúde e o Ministério das Finanças.

Exclusivos