Imperou "bom senso e sensatez" com cancelamento de protesto do Exército

Protesto simbólico organizado por oficiais do Exército contra o afastamento temporário de cinco comandantes foi desconvocado

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, considerou hoje que imperou "o bom senso e o respeito pelas instituições", sobre o cancelamento do protesto simbólico de oficiais do Exército na reserva e na reforma, previsto para hoje.

"Quando a sensatez impera, o bom senso e o sentido do respeito pelas instituições, devemos sempre ficar contentes", disse, à entrada de uma audição parlamentar na comissão de Assuntos Europeus, Augusto Santos Silva, que durante esta semana assume a chefia do Governo, na ausência do primeiro-ministro do país, em gozo de férias.

O protesto simbólico organizado por oficiais do Exército na reserva e na reforma contra o afastamento temporário de cinco comandantes, previsto para hoje, foi desconvocado.

O protesto visava manifestar solidariedade com os cinco comandantes afastados temporariamente na sequência das averiguações internas ao furto de material de guerra, em Tancos, Santarém. Os oficiais pretendiam depor as espadas no Palácio de Belém.

Santos Silva ressalvou que "os oficiais das Forças Armadas nunca convocaram manifestação, porque sabem bem que isso seria inconstitucional e ilegal".

O Exército divulgou na quinta-feira que dois paiolins dos Paióis Nacionais de Tancos foram assaltados, registando o furto de armamento de guerra. A comissão de Defesa Nacional aprovou esta terça-feira as audições parlamentares do ministro da Defesa e do chefe do Estado-Maior do Exército, que se realizam ainda esta semana.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG