Ricardo Salgado à frente de offshore que passou para a gestão da Mossack

ES Enterprise, offshore envolvida nos Papéis do Panamá serviu durante 21 anos para esconder saco azul do GES, revela investigação

Ricardo Salgado e José Manuel Espírito Santo estariam à frente da ES Enterprise, empresa do Grupo Espírito Santo que se suspeita que seria um "gigantesco saco azul" por onde terão passado mais de 300 milhões de euros, revela a investigação do consórcio de jornalistas em que participam Micael Pereira, do Expresso, e Rui Araújo, da TVI.

Criada em 1993 pelos membros do conselho superior do GES numa offshore das Ilhas Virgens Britânicas, em 2007 o nome da família desapareceu da empresa, cuja gestão foi entregue à Mossack Fonseca, sob o nome Enterprises Management Services.

A ES Enterprise foi investigada pelo Ministério Público no âmbito do caso BES/GES, em 2014, em particular os fluxos financeiros associados àquela sociedade, tendo inclusivamente havido suspeitas de que por lá tivessem passado fundos relacionados com negócios que envolviam a ESCOM.

Na comissão de inquérito ao BES, José Manuel Espírito Santo foi inquirido sobre a ES Enterprise, da qual afirmou ter tido conhecimento há pouco tempo. Confrontado agora pelo Expresso e pela TVI - Salgado não quis falar -, frisa que não se recorda de ter tido algum cargo na empresa nem ter conhecimento da atividade a que se dedicava.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG