Ministério proíbe promoção de viagens finalistas dentro das escolas

Ministério confirmou relatório e indicações às escolas, acrescentando que no documento não existem referências a professores que tivessem agido fora das suas funções

É nas férias da Páscoa - quase a chegar - que se realizam muitas das viagens de finalistas dos alunos das escolas, principalmente de jovens do 12.º ano. O destino, para a grande maioria, e como tem acontecido nos últimos anos, é o sul de Espanha. Com as viagens praticamente organizadas, um relatório da Inspeção-Geral de Educação e Ciência (IGEC) alerta para o facto de ter detetado escolas que promoviam viagens de finalistas, bem como professores que, nas mesmas viagens, faziam o papel de promotores turísticos, avançou o Jornal de Notícias.

É também explicado que as pessoas em questão podem ser alvo de sanções disciplinares. O mesmo jornal explica que o relatório foi também enviado para a Autoridade de Segurança Alimentar Económica (ASAE) e para a Direção-Geral do Consumidor.

Ao que o DN apurou junto de fonte do Ministério da Educação, confirmam-se as indicações aos agrupamentos com ensino secundário, tendo como objetivo proibir dentro das escolas qualquer atividade de organização e mesmo promoção de viagens. A mesma fonte refere que, neste relatório, não existe qualquer indicação relativamente a professores que tivessem agido fora das suas funções. Caso alguém não siga as diretivas o Ministério da Educação irá, então, "agir em conformidade".

"Na sequência do relatório da Inspeção-Geral de Educação e Ciência, o ME deu instruções à Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares para que não sejam autorizadas iniciativas desta natureza dentro das escolas e determinou, ainda, o envio do referido relatório para a ASAE e para a Direção Geral do Consumidor a fim de ser analisado no âmbito das competências destas entidades", respondeu ao DN a mesma fonte.

Após denúncias que deram conta da promoção de viagens "em contexto escolar" foram realizadas dezenas de inspeções, tendo sido interrogados vários diretores de escolas e presidentes de associações de estudantes. Os investigadores pretenderam saber detalhes sobre a maneira como são organizadas e promovidas as viagens de finalistas, diz ainda o Jornal de Notícias.

As viagens de finalistas de alunos de escolas portuguesas no sul de Espanha têm sido bastante polémica. Em 2010 e 2012 as viagens ficaram ensombradas por motivos trágicos: em ambos os anos um jovem morreu. Mas, todos os anos, são várias as notícias e as queixas que dão conta de distúrbios e alegados maus comportamentos, envolvendo muitas vezes o consumo de álcool, inclusivamente por parte de menores de idade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG